Série Semana Missionária 2020 – COMISE: 4º Dia

Você que tem acompanhado a nossa SEMANA MISSIONÁRIA realizada pelo COMISE da Diocese de Campina Grande, hoje verá como a dimensão intelectual favorece a vida missionária dos seminaristas. O entrevistado é o diretor do Centro de Estudos Acadêmicos – CEA e membro do corpo formativo do Seminário, o Padre João Jorge Rietveld.

CASA DA ORAÇÃO, DA CARIDADE, DA CIÊNCIA E DA FÉ

Fazendo uma introdução histórica e terminológica, o Padre João Jorge inicia a entrevista explicando como os lemas vividos no Seminário e no Centro de Estudos (Domus Orationis et Caritatis e Sciencia et Fides Illuminant Hominem, respectivamente) tornam-se aspectos da Casa de formação. Segundo o formador, “a parte intelectual faz parte da formação seminarística; são várias dimensões e a parte intelectual cabe aos professores e a nossa responsabilidade”.

MISSÃO CENTRÍPETA

“Na missão, a gente tem duas direções […]: a missão ad extra, que se chama a missão cetrífuga e […] a missão ad intra, a missão centrípeta. E eu vejo esta casa […] dentro da missão centrípeta, e isso quer dizer: […] a casa é aberta para acolher pessoas, e não são só os seminaristas […], também são pessoas de fora que querem conhecer o pensamento filosófico e teológico da Igreja Católica.”, diz o padre formador.

ACOLHIDA

Na perspectiva do Padre Rietveld, a missão do Seminário – e por assim dizer, dos seminaristas – é acolher as pessoas que buscam abastecer-se intelectualmente, como também na “oração, na caridade e na fé”, para que sintam-se abraçadas pelo espírito missionário que um seminário, enquanto casa, exala em sua caridade acolhedora.

Confira a entrevista:

Informações: COMISE

01 Comentário

Clique aqui para postar seu comentário

Assine a nossa newsletter

Junte-se à nossa lista de correspondência para receber as últimas notícias e atualizações de nossa equipe.



You have Successfully Subscribed!

Share This