Paróquias festejam Santa Ana e São Joaquim

A memória litúrgica de São Joaquim e Santa Ana que a igreja celebra neste dia 26, alude ao forte testemunho sobre a importância dos pais da Virgem Maria. O Bispo Diocesano de Campina Grande, Dom Dulcênio Fontes de Matos, celebrou neste domingo em duas paróquias que trazem como padroeiros os santos avós de Jesus e, em cada uma delas, deixou uma mensagem de fé e falou sobre a rica devoção ao santo casal Ana e Joaquim.

A Paróquia de Santa Ana e São Joaquim, em Barra de Santana, Forania Agreste I, acolheu o Bispo pela manhã na Missa das 10h.  Dom Dulcênio, ainda foi à Paróquia de Santa Ana, na cidade de Alagoa Nova, na Forania do Brejo, onde presidiu a Missa às 15h. Em ambas as paróquias, o Pastor Diocesano foi bem acolhido, sentiu-se feliz em reencontrar-se com o rebanho, ainda que timidamente, devido aos protocolos impostos pela pandemia, contudo, falou com entusiasmo sobre o reino de Deus.

“O Reino exige a renúncia total. A renúncia à matéria tem seu prêmio: a posse de Deus. Sem medo de errar, Sant´Ana e São Joaquim, tiveram a posse de Deus”. Essa foi a grande mensagem deixada por Dom Dulcênio, neste 17º domingo do Tempo Comum, que também falou sobre a proposta evangélica de deixar tudo pelo Reino e seguir Jesus.

Acerca da devoção cristã aos ditosos pais da Virgem Maria, o Bispo ensinou que foi um casal piedoso, temente a Deus e que esperavam a benção da prole no matrimônio. Com o nascimento da Virgem Maria, os esposos, Ana e Joaquim, conforme a tradição, ofertaram a pequena filha para ser toda de Deus.

“Reza uma piedosa tradição, que os santos esposos Ana e Joaquim ofereceram a Deus a filhinha, quando esta tinha três anos apenas. Assim, o maior cuidado dos pais devia ser educar os filhos para Deus e entrega-los ao seu santo serviço quando neles se revelassem sinais indubitáveis de vocação religiosa ou eclesiástica.  Diz a tradição, que Santa Ana de muito boa vontade fez o sacrifício de separação da filhinha, sabendo que Deus a reservara para si, e reservará para ela, a mais sublime missão, ser a Mãe de Deus”. Ensinou o Bispo.

Pautando-se nesse belo exemplo e testemunho de fé, Dom Dulcênio, dirigiu-se aos pais, aos poucos fiéis que na igreja se encontravam e às pessoas que acompanhavam pelos meios de comunicação, e indagou:

“Pais e mães, por que vocês não imitam este belíssimo exemplo da santa mãe de Maria, entregando a Deus o que mais caro vocês têm aqui na terra, se assim for a vontade de Deus? Pais e mães, não contrariem os planos de Deus, opondo-se à vocação clara e provada dos seus filhos”. Disse o Bispo

E por fim, o Bispo concluiu fazendo este arremate, de que esperar em Deus e aceitar seus planos, é uma escolha pela pérola que o Evangelho faz menção neste dia, assim como Ana e Joaquim que esperaram e confiaram na graça divina, e obtiveram o prêmio eterno do reino dos céus.

“A exemplo de Sant’ Ana e São Joaquim, que esperaram a vontade de Deus e tiveram paz … Olhe para si, examine-se, veja se você vive em paz, contente, satisfeito…; se não estiver, é porque Deus não está encontrando espaço em seu coração. Como Sant’ Ana e São Joaquim. Viva a devida profundidade de amar e de entregar”. Concluiu Dom Dulcênio.

A Paróquia de Sant’ Ana e São Joaquim, em Barra de Santana, é pastoreada pelo Padre André Morais; já a Paróquia de Santa Ana, em Alagoa Nova, tem à frente, o Padre Jorge e o Diácono Manassés. Na Diocese, há também, a Paróquia de Santa Ana, na cidade de Soledade, com o pastoreio do Padre Hermes, Padre João Batista e o Diácono Divaldo Cordeiro. Todas essas paróquias estiveram em festa durante esses dias.

Por: Ascom
Com fotos: Pascom de Santana e Joaquim - Barra de Santana (PB)/ e Pascom Santa Ana - Alagoa Nova (PB)

 

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar seu comentário

Assine a nossa newsletter

Junte-se à nossa lista de correspondência para receber as últimas notícias e atualizações de nossa equipe.



You have Successfully Subscribed!

Share This