Missa e Crisma na Paróquia de Nossa Senhora do Bom Conselho, em Esperança, é realizada neste sábado

Atualizado em 07/07/24 às 00:436 minutos de leitura101 views


Na noite deste sábado, 06 de julho, a Igreja Matriz da Paróquia de Nossa Senhora do Bom Conselho, em Esperança-PB, ficou repleta de fiéis que se reuniram para a Missa e Celebração do Sacramento da Crisma de 230 jovens do setor cidade. A celebração foi presidida pelo Bispo Diocesano de Campina Grande, Dom Dulcênio Fontes de Matos, concelebrada pelo Pároco, Padre Evanilson, e os vigários, Padre Onaldo e João de Deus. O diácono Mauricio e alguns seminaristas também estiveram presentes, enriquecendo a liturgia com seus trabalhos.

Dom Dulcênio celebrou esta Missa já refletindo o 14º Domingo do Tempo Comum e em sua homilia, refletiu sobre importância da Sabedoria de Deus manifestada em cada um de nós. A princípio, o bispo começa destacando a admiração dos conterrâneos de Jesus diante de sua sabedoria. Isso nos leva a refletir sobre como nossa fé nos impulsiona a acolher e nos comprometer com Deus.

Também explicou que Jesus é apresentado como a encarnação da Sabedoria de Deus. Ele não adquiriu sabedoria como um ser humano comum, mas é a própria Sabedoria Eterna, consubstancial ao Pai. Isso é afirmado com base no Credo Niceno-Constantinopolitano.

“Ele, humana e cronologicamente, não recebeu a sabedoria de nenhum mortal. Mas, esta sabedoria não a possui meramente, mas é expressão do Seu Ser: Cristo é a Sabedoria Eterna, por meio de Quem tudo foi criado, e que, na plenitude dos tempos, encarnou-Se para, salvando-nos, implantar em nosso coração os germes, as fagulhas de Sua Sabedoria, do Seu Ser enfim”, instruiu.

O Bispo ensinou ainda que a tratativa de Cristo, contida nas Sagradas Escrituras, não é apenas uma característica pessoal, mas um convite para que aqueles que O amam participarem dessa sabedoria. Citando o livro dos Provérbios, Dom Dulcênio destacou como aqueles que guardam os caminhos da Sabedoria são felizes.

Dom Dulcênio criticou a pseudo-sabedoria do mundo, que muitas vezes se afasta de Deus e busca apenas prazeres passageiros. Ele cita São Tiago para contrastar a sabedoria terrena, que pode ser egoísta, com a sabedoria que vem do alto, que é pura, pacífica, misericordiosa e frutífera.

Concluiu a sua homilia, encorajando os fiéis a viverem de tal maneira que aqueles ao seu redor se questionem sobre a origem da sabedoria que demonstram, reconhecendo que ela vem de Deus. É um apelo para que as obras e palavras dos cristãos revelem a presença e a ação de Deus em suas vidas.

“Que, em relação a nós, inseridos na vida de Cristo, também os que nos interpelam com os seus olhares igualmente se questionem: “De onde receberam eles tudo isto? Como conseguiram tanta sabedoria?”. E, com naturalidade, contemplando as nossas obras e palavras cristãs, inequivocamente, saibam que tudo o que somos vem de Deus; é Sua ação em nós, sensivelmente dóceis à Sua Palavra que nos orienta, que nos elucida, nos converte, nos cura e nos modela a Si; que participamos, com a nossa humanidade eivada pela graça divina, da sabedoria eterna do Cristo – e que é Cristo –, que habita em nós pelo Seu Espírito Santo”, findou.

Por: Ascom
Fotos: Pascom Paroquial

 

Imagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notícia

Comentários (0)