Missa da Ceia do Senhor na Catedral

Postado em 28/03/24 às 22:526 minutos de leitura106 views


A Missa da Ceia do Senhor com o rito do Lava-Pés foi realizada na tarde desta quinta-feira Santa (28) na Catedral de Nossa Senhora da Conceição, em Campina Grande. Em celebração presidida pelo Bispo Diocesano Dom Dulcênio Fontes de Matos, a igreja registou um grande número de fiéis que participaram deste momento com muita fé.

A Missa da Ceia do Senhor marca o início do Tríduo Pascal, que além desta missa, inclui a celebração da Paixão e Morte de Jesus Cristo na Sexta-feira Santa, seguida pela Vigília Pascal. Na Missa da Ceia do Senhor, há uma ênfase na instituição da Eucaristia e no gesto de Jesus lavando os pés de seus discípulos, que se traduz em atitude de serviço e humildade.

Na Homilia, o bispo falou sobre o significado desta missa, explicando que Jesus se entregou por amor a humanidade, disse ainda que esta Missa vespertina da Ceia do Senhor nos conduz ao cerne da celebração litúrgica e nos convida a mergulhar nos mistérios da Paixão, Morte e Ressurreição de Jesus Cristo.

De acordo com os ensinamentos do bispo, a liturgia desta celebração nos convida a fazer memória da última Ceia de Jesus com seus discípulos, onde Ele instituiu a Eucaristia, o sacerdócio e nos deu o mandamento do amor fraterno. É um momento de profunda conexão com o sacrifício redentor de Cristo e com o amor que Ele demonstrou ao lavar os pés de seus discípulos.

“Esse extremo ato do amor de Jesus manifesta-se hoje em três momentos: na instituição da Eucaristia, na instituição do Sacerdócio e no mandamento do Amor fraterno. Celebramos a Eucaristia, nascida do amor, a Eucaristia criada pelo amor, a Eucaristia que só se entende no amor, a Eucaristia que só pode ser recebida com amor”, disse.

Nesse intento, o bispo disse que a Eucaristia se revela como o ápice desse amor extremado, onde Cristo se doa completamente a nós para nossa salvação. Ademais destacou que existe uma ligação entre o sacerdócio e a Eucaristia, ressaltando que sem sacerdotes não há Eucaristia. Os padres são chamados a serem instrumentos de Deus para distribuir esse alimento espiritual ao povo de Deus, sendo a celebração eucarística o centro de seu ministério.

“Foi numa noite como hoje, foi nesta noite sagrada de Quinta-feira maior, foi no momento em que instituía a Eucaristia no Cenáculo, que Jesus fez o Sacerdócio. Foi numa quinta-feira santa, como hoje, que os padres passaram a existirem, que nós padres nascemos, ligados à Eucaristia bem mais do que um filho à sua mãe, porque um filho, uma vez nascido, pode crescer sem a mãe, enquanto que nós padres, nascemos da Eucaristia e para a Eucaristia, e não sobrevivemos sem a Eucaristia, é como o peixe que não sobrevive fora d’água”, pregou.

O gesto do lava-pés, realizado por Jesus durante a última Ceia, é apresentado como um exemplo supremo de serviço e amor fraterno. Ele nos convida a nos compreendermos, perdoarmos e amarmos uns aos outros completamente, formando uma comunhão que reflete a comunhão que celebramos na Eucaristia.

“Celebremos a Eucaristia! “Fazei isto em memória de mim!” Refaçamos e vivamos os laços de amor fraterno que nos unem em comunhão entre nós e, através de Cristo, com Deus! “Fazei isto em memória de mim! Bendito o sacerdote, Cristo vivo no meio do povo!”, concluiu.

Ao final da Santa Missa, o Santíssimo foi conduzido em procissão até à Cripta da Catedral no subsolo para momento de Adoração.

Por: Ascom
Fotos: Pascom Diocesana

Imagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notícia

Comentários (0)