Clero de Campina Grande participa de curso sobre Liturgia

Atualizado em 25/06/19 às 10:343 minutos de leitura
A formação permanente do Clero de Campina Grande este ano abordou o tema Liturgia: Homilia e Celebração Eucarística. Sob a assessoria do Pe Roberto Benvindo, da Arquidiocese de Aracajú, os Sacerdotes, Diáconos e o Bispo se reuniram no Seminário Diocesano nestas terça e quarta-feira. “A formação é importante na vida de qualquer pessoa, especialmente dos Sacerdotes, porque se nós não nos atualizarmos, vamos ficar sempre para trás. É preciso olhar pra frente sempre!”, pontuou Dom Dulcênio, Bispo Diocesano. [caption id="attachment_6213" align="alignright" width="189"] Pe Roberto Benvindo e Dom Dulcênio[/caption] O assessor do encontro apresentou ao Clero atualizações e observações pertinentes sobre a Sagrada Liturgia sob vários aspectos. Para o Pe Roberto, Liturgia é  fazer com que o mistério de Deus seja atualizado, vivido e experimentado no hoje e no agora. “A Liturgia é uma pessoa, não um conjunto de cerimônias. Na verdade o liturgo do Pai, é o Cristo. Ele, quando assumiu a natureza humana e a redimiu por meio da cruz, Ele fez essa ponte entre a humanidade e a eternidade. Então quando nós celebramos, nós apenas atualizamos este mistério”, explicou o Padre, que tem Mestrado em Liturgia. A homilia foi um dos pontos trabalhados na formação. Para Dom Dulcênio, esta parte da celebração precisa ser vivida com naturalidade, proporcionando uma melhor compreensão dos fieis. “Uma boa homilia não é aquela que é extensa, demorada, mas a que tenha conteúdo, que atinja o coração das pessoas. É o momento em que o sacerdote coloca a palavra de Deus para os fieis, contextualizando, ensinando, sendo pastor”, explica o Bispo. Os Padres que participaram da formação elogiaram a temática e o assessor convidado. “É importante a gente sempre rever aquilo que aplicamos nas nossas comunidades. É uma forma de vivermos nosso ministério de forma mais eficaz, ajudando as pessoas a compreenderem melhor a sua fé”, avaliou Pe Francisco Evaristo, pároco de Serra Branca e representante do Clero. “Momento em que o clero está reunido, sempre tem algo a aprender. Precisamos, durante a caminhada ministerial, viver momentos como este”, pontuou Pe José Marcos, pároco de Monteiro. “Uma contribuição muito rica para nós, Clero, e para toda Diocese, já que levaremos tudo para nossas comunidades. Nós tivemos a oportunidade de crescer, de tirar dúvidas, de partilhar orientações. Uma oportunidade de engrandecimento, de reencontro e até de avaliação, já que nos intervalos a gente discutia o que estávamos fazendo, como estávamos caminhando e onde podemos melhorar”, acrescentou Pe Gustavo Ferreira, pároco de Caraúbas e Congo. Pascom Diocesana

Comentários (0)