Dia do Catequista: Na catedral a Catequese e a Pastoral da Criança realizam Peregrinação

Atualizado em 27/08/23 às 00:0013 minutos de leitura418 views


Na dinâmica da programação prevista para o recebimento das Indulgências Plenárias, neste domingo, dia 27, a Catedral de Nossa Senhora da Conceição, no centro de Campina Grande-PB, acolheu as peregrinações da Pastoral da Criança e dos Catequistas, neste dia, inclusive dedicado a todos os catequistas.

Na catedral, O Bispo Diocesano, Dom Dulcênio Fontes de Matos, também referencial para a Catequese no Regional NE2, presidiu a Santa Missa que foi concelebrada pelo Bispo de Patos, Dom Heraldo, também pelo Padre Luciano Guedes (Vigário Geral) e os Padres Antônio Batista (Pastoral da Criança) e o Padre Jorge (Catequese).

Dom Heraldo veio de Patos-PB para participar deste momento junto à Pastoral da Criança, uma vez que ele é Bispo referencial na Província Eclesiástica da Paraíba; o prelado participou da catequese e foi acolhido com muita estima por Dom Dulcênio.

Homilia

A igreja chega ao seu 21º do Tempo Comum, o Evangelho de Mateus 16, 1-20, apresenta a profissão de fé de Pedro, o primeiro Papa. Na primeira leitura, extraída do Profeta Isaías 22, 19-23, o Senhor Deus destitui Sobna da função de Administrador do Palácio do Rei Ezequias, e constituiu Eliacim para esta mesma função.

Conforme ensinou, o motivo da exoneração seria a vaidade, Sobna quis tornar-se imortalmente célebre, inclusive depois de sua morte. “Seria a vaidade um pecado tão horrendo a ponto de provocar a reprovação por parte do Senhor? Sim. Principalmente se a vaidade trouxer consigo outros comparsas: corrupção, injustiça, desperdício, má gestão”, explicou.

E continuou explicando que Isaías é enviado, em nome do Senhor, para esta missão de procurar um novo curador que fosse “um pai para os habitantes de Jerusalém e para a casa de Judá” (Is 22,21). E Deus, olhando para Eliacim, cujo nome significa “Deus estabeleceu”, filho de Helcias, o encontrou:  “Concedeu-lhe as chaves que lhe conferia a autoridade de administrar os bens do soberano, que fixava a abertura e o fechamento das portas e definia quais os visitantes introduziria junto do soberano”.

No Evangelho uma analogia, Jesus concede, simbolicamente as chaves a Pedro; na cena evangélica Jesus interroga aos seus discípulos: ‘E vós, quem dizeis que eu sou?’; nota-se que Pedro responde de modo solene, o Apóstolo representou, naquele instante, toda a igreja ao professar a fé no Cristo Salvador, no Messias.

Dom Dulcênio, ao aprofundar a explicação deste Evangelho, pregou que Deus, que conhece os corações, concedeu o seu poder, a sua autoridade a Simão, cognominando-lhe ‘Pedro’, entregando as chaves do Seu Reino, da Sua Igreja.

“O Senhor entrega o que é Seu para quem O reconhece e O aponta; confia o que tem de mais sublime: a Sua Igreja, pela qual deu a vida de maneira cruentíssima. E mesmo com fraquezas, Pedro foi escolhido, não pela capacidade do seu coração, mas por Aquele que detém e é fonte da “profundidade da riqueza, da sabedoria e da ciência” (Rm 11,33), como exclamava São Paulo, na Segunda Leitura, diante da inescrutabilidade e da impenetrabilidade dos pensamentos do Senhor”, ensinou.

Dom Dulcênio concluiu lembrando que hoje, Pedro continua com as chaves, agora nas mãos do Papa Francisco, que deve, por primeiro reconhecer, indubitavelmente, o Senhor, sem se deixar desviar pelas tentações, inclusive da vaidade. “O papado é também um carisma, uma graça privilegiada concedida para a edificação da Igreja. Ser cristão também é graça. Que conduzidos pelo Papa, dóceis à sua autoridade-serviço, aproveitemos a porta aberta pelas chaves do Senhor, e cheguemos à plenitude do Seu Reino”, findou.

Palavras dos Padres Antônio e Jorge

Ao final, o Padre Antônio, Pároco da Paróquia de Nossa Senhora da Luz (Pedra Lavrada-PB), agradeceu a presença massiva da Pastoral da Criança, também aos catequistas e aos bispos. Padre Jorge, também cumprimentando os Senhores Bispos, deixou a sua palavra de gratidão, apresentou a comissão diocesana para a Animação Bíblico-Catequética e disse colocar-se a disposição de todos.

Missa e Crisma nas Paróquias de Aparecida e São Francisco de Assis

Ainda neste final de semana, dias 26 e 27, o bispo realizou Crismas na Paróquia de Nossa Senhora Aparecida, no bairro do Médice, onde crismou 120 jovens, isto no sábado à noite; no domingo à tarde, o prelado esteve na capela de São José, que fica no bairro do Jardim Continental, e pertence à Paróquia de São Francisco, do bairro da Conceição, lá, Dom Dulcênio crismou 27 jovens e adultos.

Por: Ascom
Fotos: Pascom Paroquial de Aparecida; JJ da Pastoral da Criança; Padre Luciano Guedes; Pascom Paroquial da Catedral e Pascom Paroquial de São Francisco (Conceição). 

Imagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notícia


Imagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notícia


Imagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notícia

Comentários (0)