Comunidade de São Pio X, no centro de Campina Grande, celebra ao seu Padroeiro

Atualizado em 21/08/23 às 00:006 minutos de leitura370 views


A tradicional Comunidade de São Pio X, assistida pastoralmente pela Paróquia da Catedral, celebrou festivamente ao seu padroeiro, o Papa São Pio X, na noite desta segunda-feira, dia 21; a comunidade acolheu o Senhor Bispo Diocesano de Campina Grande, Dom Dulcênio Fontes de Matos, que na ocasião crismou 45 pessoas. Os Padres da Catedral, Padre Luciano Guedes, Padre Mércio e o Monsenhor Apolinário, concelebraram; os diáconos Ricardo e Anderson serviram à liturgia que foi auxiliada por seminaristas.

Na homilia pregada aos fiéis, Dom Dulcênio destacou que é muito oportuno, ao celebrar São Pio X fazer um exame acerca de como está o nosso amor com as obras à Igreja; se no meio dos nossos afazeres temporais, cada um de nós tem ‘uma viva consciência de ser um membro da Igreja, a quem foi confiada uma tarefa original, insubstituível, intransmissível, que deve levar a cabo para o bem de todos’.

“Examinemos também como é o nosso amor filial ao Papa, que para todos os cristãos deve ser “uma formosa paixão, porque nele vemos Cristo”. O Santo Padre, Papa Francisco, o Pedro de hoje, continuamente nos pede que reze por ele. Meditemos, se rezamos todos dias pela pessoa do Sumo Pontífice para que o Senhor o guarde e o verifique e o faça feliz na terra.”

O Bispo de Campina Grande, ao prosseguir e aprofundar a sua homilia, chamou à atenção dos crismandos e de todo o povo de Deus, instruindo a respeito da vida eterna que está em Jesus, apontou também, que nesta vida passageira, quem vive de ilusão, perece.

“Quem pratica o mal ou quem se vende para outros deuses, como, por exemplo, o dinheiro, o poder, o status... etc. acaba por se tornar uma pessoa vazia de bons sentimentos e não respeita mais os seus semelhantes, criando uma situação insustentável que, no início pode até parecer confortável, mas vai gerar muita miséria e desgraça”, advertiu.

Ao refletir o Evangelho, de Mateus 19, 16-22, que apresenta o diálogo do jovem rico e Jesus, que pede para o jovem doar todos os bens e segui-lo, o bispo explicou que a temática central é o despojamento.

“Irmãos e irmãs, cada um de nós, em determinado momento da vida, teve que fazer essa mesma pergunta ao bom Mestre: “Que devo fazer? Que queres que eu faça? Qual a sua vontade ao meu respeito? A vida é um chamado de Deus, e nós temos de conhecer para que nos chama. Ao jovem do evangelho, Jesus descobriu uma missão específica; para nós já a descobriu provavelmente; porém agora resta-nos responder devidamente ao chamado”, pregou. 

E continuou: “Alguém poderia perguntar: que passo devo dar para chegar a perfeição? Eu respondo: o primeiro passo que devemos dar para chegar à perfeição é deseja-la sinceramente e de todo coração; é verdade que se esses desejos forem estéreis porque não refletem nas obras, para nada nos servem concretamente, porém, é certo também que não se chega às boas obras sem um desejo prévio de melhora e perfeição”.

Concluiu a sua pregação pedindo a todos que o conforto e a segurança dos bens materiais não sejam para nós, causa, impedimento, obstáculo para decidir-se por Jesus, aceitar os seus planos e segui-lo.

Ao final da celebração, Gustavo Lucena, na condição de moderador da Comunidade, agradeceu a presença do Bispo e reforçou mais uma vez uma certeza: A comunidade de São Pio X está à disposição de toda a Igreja!

Por: Ascom
Fotos: Leonardo Silva | Comunidade de São Pio X 

Imagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notícia
Imagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notícia

Comentários (0)