Cripta da Catedral será inaugurada na Segunda-feira dia 14

Atualizado em 07/08/23 às 00:003 minutos de leitura575 views


A Cripta da Catedral de Nossa Senhora da Conceição, no centro de Campina Grande, será inaugurada e abençoada na próxima segunda-feira, dia 14 de agosto, pelo bispo diocesano Dom Dulcênio Fontes de Matos; será um momento histórico para toda a Igreja Particular de Campina Grande, pois os restos mortais dos dois prelados que estão sepultados na Catedral, Dom Manuel Pereira e Dom Luís Gonzaga Fernandes, estarão expostos numa urna para a visitação e depois serão trasladados para a Cripta que fica no subsolo.

No decorrer deste dia grandioso para toda diocese, na catedral serão celebradas seis missas com os padres que foram ordenados pelos bispos falecidos, Dom Manuel e Dom Luís, sendo a primeira missa a partir das 6h e, a cada duas horas, será realizada uma nova celebração. Veja a programação:

06h - 1ª Missa (Pe. Severino Firmino);
08h - 2ª Missa (Pe. Possiano);
10h - 3ª Missa (Mons. Lourildo);
12h - 4ª Missa (Pe. José Vanildo);
14h - 5ª Missa (Pe. Acírio);

16h - Solene Concelebração (Dom Dulcênio Fontes de Matos)

Nesta missa presidida por Dom Dulcênio e concelebrada pelos demais padres, haverá a presença de Dom Genival Saraiva, bispo emérito de Palmares-PE, que integrou o clero de Campina Grande no período dos governos de Dom Manuel e Dom Luís.

Após a missa das 16h, acontecerá a transladação dos restos mortais dos bispos para a Cripta que será abençoada.

A Cripta, quando inaugurada, terá os seguintes objetivos: guardar a memória dos bispos diocesanos falecidos; acolher os penitentes diariamente para o Sacramento da Confissão; Adoração perpétua do Santíssimo Sacramento; celebrações da santa missa em favor das almas; celebrações dos grupos e encontros de espiritualidade.

CRIPTA do grego, kryptós significava “escondido”, refere-se, pois, a uma capela inferior, escondida, normalmente localizada abaixo do corpo principal de uma igreja. Às vezes, uma capela da cripta terá uma área para enterro subterrâneo, mas esse nem sempre é o caso. Muitas vezes, uma paróquia constrói uma cripta, mas seu uso se restringe a ser uma capela secundária para a celebração da missa ou o local para a adoração eucarística perpétua.

As criptas remetem espiritualmente aos primeiros cristãos que adoravam a Deus no subsolo, nas catacumbas, confiando a Ele os restos mortais de seus amados mortos. É uma bela tradição na Igreja Católica, que continua a ter grande significado quase 2.000 anos depois.

Por: Ascom
Correção: Pe. Luciano Guedes e Pe. Márcio

Imagem da notícia

Comentários (0)