Na Paróquia do bairro do Alto Branco, Bispo celebra Crisma nas festividades do Padroeiro

Postado em 19/01/23 às 22:544 minutos de leitura630 views


O Bispo de Campina Grande, Dom Dulcênio Fontes de Matos, segue com as visitações e celebrações nas comunidades que aludem ao patronato de São Sebastião; nesta quinta-feira, 19, o Pastor Diocesano esteve na Igreja Matriz de São Sebastião, no bairro do Alto Branco, na Paróquia do Seminário. Lá, presidiu missa e ministrou o Sacramento da Crisma a 11 jovens.

O Pároco, Padre Leandro Márcio, o Vigário Padre Adauto, o Diáconos Brito e Mércio, junto aos paroquianos, familiares dos crismandos e o povo de Deus, se alegraram com a visita do bispo, sendo motivo de confirmação e vivacidade na fé. Dom Dulcênio agradeceu a acolhida, e falou ser uma alegria poder celebrar junto à comunidade e ministrar o Sacramento da Crisma.

Na homilia desta missa em preparação à festa do padroeiro, que acontece amanhã, dia 20, o prelado destacou o legado do mártir como um exemplo altaneiro para os tempos atuais, isto porque, como outrora Sebastião enfrentou o paganismo, hoje, também há muitos sinais pagãos que dificultam a vivência cristã.

Conservar a fé e os bons costumes, nos tempos de hoje, é algo difícil, mas não impossível como pregou Dom Dulcênio, ao tempo em que pediu aos fiéis que acolhessem o exemplo de São Sebastião sendo solidário em especial os que sofrem perseguições. “São Sebastião, vendo grandes tribulações que os cristãos sofriam, as perseguições atrozes de que eram vítimas, alistou-se nas legiões do imperador, com a intenção de mitigar os sofrimentos dos seus irmãos em Cristo. Bem-aventurados somos nós por poder realizar esses belos exemplos deste grande santo”, disse.

Ademais, o bispo também frisou que as festividades de um padroeiro têm por objetivo maior renovar a confiança em Deus, a fim de buscar manter harmonia com Ele e a sua santa vontade. Ainda segundo o bispo, celebrar a vida de um santo é um verdadeiro conforto para a mente e para a alma, bem como um momento oportuno para se colocar em sintonia com a família espiritual, isto é, a Igreja.

“A vivência cristã nos leva a construir, com a graça de Deus, um mundo mais justo e humano diante de valores da própria vida humana. Basta ver as guerras, violências, perda de sentido da vida, de esfarelamento das famílias, desconfianças, corrupção, e tantas situações que demonstram que, mais do que nunca, necessitamos voltar à nossa vida ao verdadeiro Deus, Pai de Nosso Senhor Jesus Cristo”, pregou.

Ao explicar o Evangelho de Marcos. 3, 7-12, que apresenta Jesus à beira do mar, em retiro com seus discípulos, o bispo disse que a multidão que acorreu ao Mestre, expressava o seu agradecimento por meio do entusiasmo e do seguimento, era a gratidão que os movia a seguirem Jesus. E mais uma vez lembrando o santo padroeiro, disse:

“São Sebastião seguiu Jesus no amor e na fidelidade, ao ponto de se tornar mártir da Igreja. E o seguimento do Mestre consiste em vivermos conforme seu espírito, cumprindo zelosamente quando nos disse no Evangelho, seguindo em nossas vidas os exemplos que ele dá com sua própria vida no meio dos homens, dando sempre amor a todos, como o fez Jesus que era tão bom e amável que atraia para si todas as pessoas”, pregou.

O bispo concluiu sua reflexão lembrando que Jesus quer formar mais profundamente o seu povo, no intuito de se tornem os depositários de sua doutrina e de sua palavra. “ Ele quer retirar-se com cada um de nós para conversar, para manifestar-nos suas intimidades e para participarmos de seus planos e projetos apostólicos; isso exigirá que você também, se retire com Jesus para a oração e contemplação”, findou.

Por: Ascom
Fotos: Pascom Seminário (Aline Tenório Cândido)

Imagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notícia

Comentários (0)