Paróquia dos Mártires, em Santa Cecília-PB, celebra à festa dos seus padroeiros

Postado em 22/11/22 às 14:436 minutos de leitura285 views


A Paróquia dos Mártires São Severino e Santa Cecília, na cidade de Santa Cecília-PB, forania agreste II, celebrou com muita festa, à sua padroeira, sendo lembrada em toda igreja neste dia 22. Santa Cecília, foi uma nobre jovem romana martirizada por volta do ano 230, manteve-se fiel a Jesus Cristo com o seu voto de virgindade perpétua.

Na paróquia dos Mártires, o dia festivo começou cedo com a alvorada às 6h; às 10h, o Bispo Diocesano de Campina Grande, Dom Dulcênio Fontes de Matos presidiu missa solene, abençoou o novo confessionário da igreja e falou da alegria em celebrar junto à comunidade paroquial este dia importante para todos os fiéis católicos da cidade e região.

O Pároco, Padre Arimatéa Júnior, assim como toda a comunidade, acolheram ao Senhor Bispo com muita festa e agradeceram ao pastor diocesano por se fazer presente nos festejos dos padroeiros, Santa Cecília e São Severino. Também esteve presente o Diácono Luiz Felipe e o Padre Simeão Dantas da Paróquia de Nossa Senhora das Victórias, de Vertente do Lério-PE.

O tema da festa deste ano aludiu ao ‘Martírio como um Testemunho de Fé’, e foi justamente partindo desta temática que o bispo introduziu a sua reflexão relatando o heroico exemplo de Santa Cecília que bravamente manteve-se fiel a Jesus Cristo; conforme o bispo abordou na pregação, a virgem Cecília dedicou todo o seu amor a Jesus Cristo, com quem, como fidelíssimo Esposo, se ligou pelo voto de castidade.

E seguiu explicando que tão profunda era a sua convicção religiosa, tão sincera sua dedicação a causa de Jesus, por que nem por um segundo teria hesitado em sacrificar a vida, se as circunstâncias a exigissem. “Seu desejo era modelar o seu coração ao de Coração de Cristo nas virtudes, nas aspirações, no amor. Quando os seus pensamentos se concentravam no objeto do seu amor, Jesus Cristo e a única aspiração que nutria era ser uma cristã perfeita”, comentou.

Após trazer um breve histórico da vida de Santa Cecília, o bispo refletiu o Evangelho de João 12, 24-26, explicando que os méritos de Santa Cecília e São Severino podem ser encontrados no Evangelho a partir da lei do grão de trigo, que conforme narra o texto bíblico diz que “se o grão de trigo, caído na terra, não morrer, fica só; se morrer, produz muito fruto”.

“Os exemplos da ”Lei do Grão de trigo” são muitos em nosso mundo, terra de justos martirizados a exemplo de Santa Cecília e São Severino. Se o grão de trigo morrer, produzirá muito fruto. O fruto supõe uma morte. Não se pode produzir vida sem se doar a própria vida. A vida é o fruto do amor e não brota se o amor não é pleno, se não atinge o dom total de si mesmo. Amar é doar-se sem reservas, até se consumir, se necessário, como indivíduo e como comunidade”, concluiu sua reflexão.

A festa dos mártires seguirá com uma programação ainda intensa com procissão pelas ruas da cidade às 16h30 e a missa de encerramento às 17h.

Por: Ascom
Com informações e fotos: Pascom Paroquial

Imagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notícia

Imagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notícia

Comentários (0)