Em Boa Vista-PB, Paróquia inicia festejos em honra ao Padroeiro Bom Jesus dos Martírios

Postado em 17/11/22 às 23:116 minutos de leitura557 views


As festividades em honra ao Padroeiro Bom Jesus dos Martírios, na Paróquia de Boa Vista-PB, forania do Cariri I, tiveram início neste dia 17, tendo a primeira celebração eucarística sendo presidida pelo Bispo de Campina Grande, Dom Dulcênio Fontes de Matos, que acompanhado de seus seminaristas, foram acolhidos Padre Saulo e toda comunidade de fiéis.

O bispo participou do hasteamento das bandeiras e disse ser uma alegria poder abrir os festejos preparatórios para ao padroeiro, ao tempo em que rezou junto ao povo de Deus que marcou presença em grande número na praça defronte à Igreja Matriz na noite desta quinta-feira (17).

Na homilia trabalhada pelo bispo, o prelado buscou refletir sobre como os cristãos, na maioria das vezes, sentem dificuldades em perceber, ou de entender, os apelos de Deus a tal ponto de procederem de maneira errada. “São muitas as causas que contribuem para essa dificuldade, dentre elas, a falta de compromisso, a fraqueza na fé, as influências externas que nos corrompem ou nos desviam do caminho dificultando o nosso entendimento, e tantas outras coisas”, iniciou sua reflexão.

Celebrando a abertura dos festejos em honra ao padroeiro e celebrando à memória litúrgica de Santa Isabel da Hungria, a Igreja propôs refletir sobre o projeto de Deus para a humanidade, tal como descrito na primeira leitura, no livro do Apocalipse 5, 1-10, que fala sobre os selos lacrados; segundo os ensinamentos do bispo, os selos significam o projeto divino sobre a vida e a história.

“Um projeto que, para entender, carece de nossos envolvimentos e compromisso com ele. Quem é fiel a Cristo e segue seus ensinamentos, torna-se capaz de abrir e conhecer os mistérios desses selos. Vemos, assim, que a vida é como uma carta selada e lacrada. Consegue entende-la quem configura sua vida a Cristo, vivendo de modo exemplar”, disse.

E ao refletir o Evangelho, o Pastor Diocesano destacou que o choro de Jesus ao ver Jerusalém, consiste em um sentimento de compaixão, porque ele sabia que, a cidade –marcada pelo pecado– seria destruída: “Quem se desvia do caminho de Deus sofre as consequências. Jerusalém teve a oportunidade de ter Jesus e se firmar como cidade de Deus, mas cega pela corrupção e pelos desmandos, não o reconheceu. Ela não conseguiu enxergar o portador da paz por isso seria vítima da violência, seria destruída. Eis o motivo da comoção de Jesus e do seu choro”, explicou.

E seguiu afirmando que o Evangelho de Lucas 19, 41-44, é um convite a todos os cristãos a fim de que pensem a respeito das desventuras que sobrevêm à alma infiel, que pelo pecado é ferida e arruinada. “Que cada um de nós pergunte a Jesus: se ao ver sua alma e sua vida, isso produz choro e pena ao Pai do Céu, ou se, antes, ao olhar para você, pode repetir aquela exclamação, que saiu dentre as nuvens: ‘Eis meu Filho muito amado em que ponho minha afeição’”, concluiu.

A continuidade dos festejos

As festividades do Padroeiro seguem até o dia 27 de novembro, com a continuidade do novenário, quermesses e apresentações culturais.

Mais informações podem ser conferidas no perfil da Paróquia no Instagram:

https://instagram.com/pascom.bjm?igshid=YmMyMTA2M2Y=

Por: Ascom, com informações e fotos: "Comissão de Marketing da festa"

Imagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notícia

Comentários (0)