Paróquia de Jesus Libertador celebra Novenário festivo

Postado em 16/11/22 às 23:144 minutos de leitura601 views


A Paróquia de Jesus Libertador, que fica situada no bairro das Malvinas, está festejando ao seu padroeiro desde o dia 11 de novembro se estendendo até o próximo domingo dia 20, com o tema: “Feliz a nação, cujo Deus é o Senhor”, citação extraída do Salmo 33 (34), 12. Novenas, missas e atrações culturais fazem parte de toda a programação.

Na sexta noite de celebrações alusivas à festa de Cristo Rei do Universo, nesta quarta-feira (26), o Bispo Diocesano de Campina Grande, Dom Dulcênio Fontes de Matos, presidiu a Santa Missa, concelebrada pelo Pároco, Padre Sherminson Phérikllys, com a assistência litúrgica dos Diáconos Walter e Brito, bem como os serviços dos seminaristas.

A Santa Missa reuniu uma grande quantidade de fiéis e foi realizada no novo espaço que será a nova Igreja Matriz da Paróquia, uma grande obra que está em curso, mas que já comporta a presença do povo de Deus. Nesse intento, os clérigos e leigos rezaram a Deus agradecendo-o pelo andamento das obras. 

Na homilia proferida, o bispo aprofundou na explicação do Evangelho proclamado, o de Lucas 19,11-28 que fala sobre a necessidade da vigilância e da sabedoria em usar os talentos ou dons confiados por Jesus a cada pessoa. Inicialmente refletiu: “como estamos fazendo render o Reino através do que recebemos do próprio Senhor?”, indagou.

Dom Dulcênio explicou que as moedas em número de dez, tais como descritas por Lucas, significam tudo aquilo que o Senhor concede a seus filhos, isto é, as virtudes, a fim de multiplica-las em prol da construção do Reino; e citando Santo Agostinho, ensinou que as dez moedas significam o decálogo da lei.

“Estejamos certos de que a todos os empregados deste patrão foram entregues talentos para serem acurados. Assim, todos, sem exceção, recebemos talentos e responsabilidades do próprio Senhor para o bem do Seu Reino; o que ele quer de nós, pobres empregados? Logicamente, que façamos crescer, render, desenvolver o Reino”, pregou.

O bispo também enfatizou que este Evangelho é de teor escatológico, isto é, que diz respeito às coisas finais, à segunda vinda de Jesus; conforme relata o evangelista Lucas, após coroado rei, o homem voltou e chamou seus empregados para a prestação de contas.

O Pastor Diocesano ensinou que a partida e a volta deste Rei, representa o tempo, os séculos até a volta do Senhor na Parusia. Quando, diante dele, todos prestaram contas de seus apostolados. “É a ele que prestaremos contas. Quanto mais tempo o Senhor tardar para voltar, mais oportunidade teremos para impregnar o mundo com os valores do Reino. Em compensação, mais esfarrapadas serão as desculpas que Lhe daremos se não fizemos render o Seu Reino”, pontuou.

E finalizou sua pregação pedindo vigilância aos fiéis! “Estejamos preparados. O Senhor já está para chegar coroado da Sua glória para coroar-nos. “Naquele tremendo e glorioso dia” colheremos, nada mais e nada menos, o que plantamos nesta terra de peregrinos. Receberemos o prêmio conforme o que trabalhamos”, concluiu.

Por: Ascom
Fotos: Pascom de Jesus Libertador.

Imagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notícia

Comentários (0)