Paróquia das Graças: Comunidade de São Francisco, no bairro do Cruzeiro, celebra seu padroeiro

Postado em 04/10/21 às 22:583 minutos de leitura


A tradicional comunidade de São Francisco de Assis, que fica situada na avenida Almirante Barroso, no bairro do Cruzeiro, festejou seu Padroeiro na noite desta segunda-feira (04), com uma bonita celebração presidida pelo Bispo Diocesano, Dom Dulcênio Fontes de Matos. Na mesma ocasião, o Pároco, Padre Aldevan, concelebrou e os seminaristas auxiliaram no serviço litúrgico.

Na homilia, um destaque para a caridade, para a vida e santidade do pobre Assis, São Francisco. No primeiro momento, Dom Dulcênio tratou de explicar as leituras proferidas na liturgia da palavra; no Evangelho de Lucas 10, 25-37, o autor sagrado narra a história do Bom Samaritano e, ao comentá-la, o Bispo chamou atenção para a prática da caridade.

“Com a parábola, Jesus quer ensinar-nos que a caridade não deve excluir ninguém, todos somos igualmente filhos de Deus e, consequentemente, ‘todo ser humano é meu irmão’, e se é meu irmão, devo tê-lo como tal, devo ajudá-lo, devo tratá-lo, devo amá-lo como tal. ‘vós sois todos irmãos’”, comentou.

No segundo momento, o Bispo deteve-se a falar sobre São Francisco, contando um pouco da sua história e de seus feitos amorosos pela pobreza. De acordo com os ensinamentos proferidos por Dom Dulcênio, depois da conversão, Francisco renunciou a toda sorte de propriedade. Sentia o prazer em não possuir coisa alguma e sofrer sacrifício pela pobreza.

“A pobreza – dizia – é o caminho da salvação, o fundamento da humidade, a raiz da perfeição. Produz frutos escondidos, mas que se multiplicam de mil maneiras”, destacou.

Lembrando da vida exemplar do santo, o Bispo recordou que, no dia da Exaltação da Santa Cruz, arrebatado em êxtase, Francisco viu que do céu que descia um anjo luminoso. O Anjo tinha seis asas e Francisco reconheceu nele a figura de Nosso Senhor crucificado, com as cinco chagas. Ao mesmo tempo, Francisco sentiu no lado, nas mãos e nos pés chagas iguais, que destilavam gotas de sangue.

No desfecho de sua pregação, o Senhor Bispo incentivou a assembleia a seguir o exemplo de São Francisco. “Entregar-se inteiramente a Deus é exemplo que São Francisco nos ensina. Realmente, hoje, São Francisco é o modelo a ser seguido por seu amor a Deus e ao próximo, especialmente os pobres”, concluiu.

Por: Ascom | Correção: Pedro Freitas
Fotos: Pascom paroquial

Imagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notícia

Comentários (0)