24º Domingo do Tempo Comum: Dom Dulcênio celebra em Paróquias

Postado em 13/09/21 às 00:045 minutos de leitura


Nossa Senhora das Dores é celebrada no próximo dia 15 de setembro e, na Diocese de Campina Grande, existem Paróquias que a trazem como Padroeira. Nesses dias 11 e 12, o Bispo Diocesano Dom Dulcênio Fontes de Matos, esteve em duas Paróquias que trazem a Mãe das Dores como Padroeira.

A primeira foi a Paróquia de Nossa Senhora das Dores e São Lucas, no sítio Estreito, zona rural de Campina Grande, que na noite do sábado (11), o Pároco, Padre Ediberto e o Diácono Erick acolheram a presença do Bispo Diocesano, Dom Dulcênio Fontes, que celebrou Missa em preparação à festa da Padroeira e crismou 7 jovens e adultos.

A segunda Paróquia de Nossa Senhora das Dores, com sede na cidade de Natuba-PB, Forania Agreste II, onde o Senhor Bispo presidiu Missa festiva na tarde do domingo (12), esta que foi concelebrada pelo Padre Flávio, Pároco da Comunidade local. Ainda no domingo, só que pela manhã, o Bispo celebrou na Catedral de Campina Grande, a tradicional Missa do Lar, concelebrada pelo Padre Luciano Guedes, com a assistência litúrgica do Diácono Ricardo Soares, e o serviço dos seminaristas. 

Na reflexão proferida pelo Bispo para Liturgia do 24º Domingo do Tempo Comum, um ensinamento em torno do seguimento a Cristo: “Se alguém me quer seguir, renuncie a si mesmo, tome a sua cruz e me siga”, diz o Evangelho de Marcos, refletindo o tema do misterioso caminho da Cruz.

Segundo Dom Dulcênio, os pensamentos divinos são abismos de riqueza, de profundidade infinita, no qual todos são convidados pela fé a se lançarem. Diante desses mistérios, o homem é capaz de encontrar o caminho da salvação; entretanto, quando não há essa busca, esse lançar-se – ensinava o bispo – o homem age como um subversor.

“Quando estamos dispostos a mergulhar de cabeça, confiantemente, nos insondáveis desígnios do Senhor, que perpassam a nossa existência, agimos como subversores da ação divina, tal como o diabo. É somente pela fé irrestrita que abraçamos a misteriosa vontade de Deus”, ensinou em sua pregação.

E acerca da perspectiva da Cruz, o Bispo lembrou que abraçar a cruz e seguir a Jesus é ter mente que dificuldades virão, mas é no caminho da provação que o cristão se fortalece e encontra razões para seguir: “É nobre desgastar-se por algo que vale a pena. Não existe nobreza maior que desgastar-se por Deus, vivendo, com entusiasmo, coragem e alegria a Sua sabedoria em nós. Carregando a nossa cruz, imitando o Senhor e tendo-O à nossa frente”, refletiu.

Por fim, pediu aos fiéis que frutifiquem-se na sabedoria divina, buscando fazer a vontade de Deus, sem reservas, desapegado de si mesmos e servindo melhor a Cristo sofredor nos irmãos que com Ele sofrem.

Por: Ascom | Correção: Pedro Freitas
Fotos: Diácono Erick, Seminarista Albere; Pascom de Natuba (PB)

 Fotos da Missa na Comunidade do Estreito 

Fotos da Missa da Catedral - Prints:

Fotos da Missa na Paróquia de Nossa Senhora das Dores, em Natuba-PB


Comentários (0)