16º Domingo do Tempo Comum – Jesus é o Pastor que zela por suas ovelhas

Postado em 18/07/21 às 23:438 minutos de leitura


Neste dia (18), a Igreja celebrou o décimo sexto domingo do Tempo Comum, e a liturgia apontou Jesus como o Pastor que se compadece da multidão. Na Catedral de Campina Grande, pela manhã, Dom Dulcênio Fontes de Matos celebrou a Santa Missa do Lar, concelebrada pelo Padre Luciano Guedes, com a assistência litúrgica do Diácono Anchieta Araújo e o apoio dos seminaristas.

À tarde, o Bispo esteve na Paróquia de Nossa Senhora do Carmo, em Puxinanã, quando, na ocasião, encerrou os festejos alusivos à Padroeira daquela comunidade. Em Puxinanã, o Bispo, acompanhado de seus seminaristas, foram acolhidos pelos Padres Antônio e Erinaldo, bem como por toda a comunidade.

Na reflexão trabalhada para este domingo, Dom Dulcênio refletiu sobre o papel dos pastores, ensinando que Deus os configurou para que exerçam a missão de Jesus Cristo, que é de anunciar o Reino de Deus.

“No conjunto que temos nesta Liturgia da Palavra, esta é, também em Cristo, as funções dos pastores da Igreja, daqueles que, prenhes dos sentimentos de mansidão figurados pela docilidade da ovelha, são enviados ao mundo como sinais para um ambiente que é adverso aos valores do Reino, apregoados pela Igreja. É para isto que o Senhor configura os Seus pastores, os sacerdotes, para neste mundo, fazer-lhes as vezes”, disse.

Nesse sentido, Dom Dulcênio falou sobre a figura do Sacerdote, que é um pastor e que emprega sua vida pela salvação das suas ovelhas. Aproveitou para fazer referência ao Bispo francês Louis Gaston, que mostra o padre como um outro Cristo, aquele que doa sua vida em favor de todos. E concluiu esta parte da sua homilia pedindo aos fiéis que peçam a Jesus Cristo, o Bom Pastor, pelos tantos homens que hoje pastoreiam a igreja.

A Festa de Nossa Senhora do Carmo, em Puxinanã-PB

Entre os dias 09 e 18 deste mês, a Paróquia de Nossa Senhora do Carmo, em Puxinanã, celebrou a Festa de sua Padroeira. Cumprindo as normas sanitárias previstas pelos decretos estadual e municipal, bem como seguindo as orientações diocesanas, a programação da Festa contou diariamente com a oração do Ofício de Nossa Senhora e a Santa Missa com a presença de padres convidados.

Na tarde de hoje, 18, a festividade foi encerrada com Missa Solene, presidida por Dom Dulcênio Fontes de Matos, e concelebrada pelos Padres Antônio Araújo e Erinaldo Lima, Pároco e Vigário, respectivamente.

Na ocasião, Dom Dulcênio relembrou que, pela segunda vez, vivemos a festa de forma diferenciada, devido aos atuais protocolos e limitações sanitárias; porém, demonstrou-se esperançoso em dias melhores e confiante na proteção de Nossa Senhora: “Uma coisa é certa, tenho plena certeza de que a Virgem do Carmo está intercedendo a seu filho Jesus por tantas famílias que estão sofrendo e também por esta comunidade, para que as coisas melhorem, não somente aqui, mas no mundo inteiro. Que Nossa Senhora do Carmo interceda a Jesus por todos nós”.

Por fim, o Pároco aproveitou o momento de fala, dizendo: “agradecer a Deus por termos realizado a Festa na concórdia, na participação de todos e na alegria que já é típica desta Paróquia”. Ainda, agradeceu a todos os serviços, pastorais, movimentos, comunidades e demais colaboradores que contribuíram na realização da festividade: “É visível o amor que demonstram a Nosso Senhor Jesus Cristo por meio de sua Mãe. A todos os paroquianos de Puxinanã, nossa gratidão pelo empenho para que realizássemos uma bonita festa”.

Por: Ascom | Correção: Pedro Freitas
Fotos da Catedral: Vinicius Pires
Fotos e apoio na matéria: Pascom Puxinanã


Imagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notícia

Fotos do encerramento da festa da Padroeira, em Puxinanã

Comentários (0)