Padre Alexandre é acolhido com festa na Paróquia de Massaranduba

Atualizado em 19/07/21 às 11:4912 minutos de leitura



O dia era 4 de maio quando a Diocese recebeu a notícia de que o Padre Alexandre Moreira seria transferido para uma unidade hospitalar devido às 9h complicações da covid-19. Foi mais de um mês em que ficou internado na UTI lutando pela sobrevivência, e conseguiu!

O dia 17 é de julho, e a história agora é outra, o Padre Alexandre retorna à Paróquia de Santa Teresinha, em Massaranduba/PB, onde foi acolhido com muita festa e em clima de comoção. Os paroquianos de Santa Teresinha aguardavam este dia histórico e de agradecimento.

Já na entrada da cidade, as manifestações de carinho e gratidão eram traduzidas pelas pessoas, uma carreata se formou e esperou o Padre que foi conduzido até Igreja Matriz. Lá, o Bispo Diocesano Dom Dulcênio Fontes de Matos, o Padre Fabiano Melo, que esteve administrando a paróquia durante a ausência do Padre Alexandre, o Diácono Gleydson, um grande intercessor junto à comunidade, alguns seminaristas e o povo de Deus, distribuído em 50% da capacidade da matriz participaram da Missa em ação de graças pela recuperação do Padre Alexandre.

A prece, o agradecimento, a voz elevada a Deus era uníssona, todos festejavam pela recuperação do Pároco, e sob clima de comoção o Bispo também agradeceu a Deus por este milagre da vida. Na homilia, Dom Dulcênio destacou que no Evangelho de Marcos 6, 30-34, várias lições são ensinadas, e uma delas é a fé em Jesus Cristo.

Em tom de gratidão o Bispo agradeceu a Deus pela vida do Padre Alexandre, disse que a vida é um dom e um sopro, ainda que a dor persista, ela é pedagoga na existência:

“Com gratidão a Deus, trazemos o Padre Alexandre de volta para o convívio com os seus paroquianos após mais de 60 dias em tratamento da Covid 19. É motivo de agradecimento a Deus que concedeu a cura ao Padre Alexandre. A vida é como um sopro (Sl 143) e temos a dor como companheira.  É bom viver, a vida humana é muito bonita, e, eu diria, quase sempre é um milagre o que se passa com cada ser humano. Somos criaturas agraciadas com o amor de Deus. Deus quis o ser humano feliz, da sua felicidade, e para sermos felizes temos que estar junto d’Ele, em harmonia com Ele”, disse.

O Bispo encerrou sua homilia agradecendo aos médicos, enfermeiros e todos os profissionais de saúde, todos aqueles que cuidaram do padre Alexandre e de tantos outros. Segundo o Bispo, eles são instrumentos de Cristo misericordioso.

“Assim como o doente é a imagem do Cristo crucificado, os médicos e os enfermeiros são mensageiros e instrumentos do Cristo misericordioso, que opera maravilhas em favor de seu povo. Refiro-me aos profissionais competentes, a exemplo daqueles que se dedicaram à cura do Padre Alexandre e de tantos outros que precisaram e precisam deles, são profissionais que assumem seu trabalho como missão. Obrigado aos médicos e médicas dedicados, especialmente neste momento que estamos atravessando, Deus os recompense e conceda-lhes saúde e sabedoria. Aos que rezaram pelo Padre Alexandre, a todos abençoo, no amor do Coração de Jesus. Certamente contamos também com a intercessão de Santa Teresinha. Aos que não conseguiram vencer o vírus, que se foram para a eternidade, que sejam acolhidos nos braços de Deus”. Concluiu.

Por fim, a comunidade paroquial de Santa Teresinha, em forma de mensagem acolheu o padre mais uma vez, desejando-lhe vida longa e muita saúde. Por sua vez, o Padre muito emocionado também agradeceu todas as formas de carinho e cuidado prestados ao longo desse tempo.

Por: Ascom
Com apoio nas informações e nas fotos: Pascom de Santa Teresinha



Comentários (0)