Na Solenidade da Santíssima Trindade: Seminaristas recebem ministérios de Leitorato e Acolitato

Postado em 31/05/21 às 11:158 minutos de leitura

A Casa de Formação dos futuros Padres da Diocese de Campina Grande, o Seminário São João Maria Vianney, vivenciou neste domingo (30), um dia festivo e alegre, pois 5 filhos da casa receberam os ministérios de Leitorato e Acolitato, em Missa presidida pelo Bispo Diocesano, Dom Dulcênio Fontes de Matos, e concelebrada por demais padres diocesanos.

O Bispo começou sua homilia saudando os Seminaristas que receberam os ministérios, falando, de sua alegria pelo momento e motivando-os a seguirem firmes na caminhada vocacional rumo ao Sacerdócio. Em seguida, deteve-se a refletir o mistério da Solenidade vivenciada pela Igreja da Santíssima Trindade.

“Sabemos que Jesus, o Salvador, veio ao mundo e demonstrou que é Deus. Falou do Pai e prometeu a vinda do Espírito Santo. Cremos na sua palavra e, neste domingo especialmente, a Igreja nos convida a celebrar e honrar este Mistério de Deus, partindo daquelas palavras que Jesus proferiu: 'A mim foi dado todo o poder no céu e na terra. Ide, pois, e anunciai a todos os povos, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, ensinando-lhes tudo quanto vos ensinei'”, catequizou.

Dom Dulcênio ensinou que a comunidade cristã nasce a partir deste fundamento trinitário, ainda que sendo um mistério de difícil compreensão, o Pai, o Filho e o Espírito conferem caráter indelével aos que são batizados. Ainda explicou a função de cada Pessoa da Santíssima Trindade, destacando assim o sentido da vida do Cristão.

Na segunda parte da sua homilia, voltou-se aos seminaristas que receberam os Ministérios de Leitorado e Acolitato, conscientizando que, no decorrer do processo formativo, eles se tornaram aptos a receberem os ministérios: “Ou seja, ponderaram que vocês têm as qualidades morais e os requisitos próprios”, disse.

Falou diretamente a José Claudino, que recebeu o Ministério de Leitorado, conscientizando-o de que o Leitor é um ícone da Igreja que anuncia ao mundo o Evangelho: “Seu sim, José Claudino, é uma resposta da Igreja ao mandato recebido: 'Ide pelo mundo inteiro e anunciai o Evangelho a todas as criaturas' (Mc 16,15)”.

Aos seminaristas que receberam o Ministério de Acólito, também expressou suas palavras pedindo que os Acólitos estejam atentos ao progresso da santidade e do serviço do altar, lembrando-os que é a partir deste ministério que o Acólito se aproxima dos ordenados e os auxilia no desenvolvimento de suas funções.

 “Aos seminaristas que receberão o Ministério de Acolito, Danilo Monteiro, Douglas Júnior, Igor Matos e João Igor, não esqueçam que a santidade do serviço que sois chamados a desempenhar determina a relação muito particular que o acólito deve ter com o Sacramento da Eucaristia e com o altar, bem como a exigência de conformar a vida e as ações ao sacrifício de Cristo”, comentou.

O Seminarista que recebeu o Ministério de Leitor:

José Claudino, natural de Juazeirinho-PB.

Os Seminaristas que receberam o Ministério de Acólito:

- Douglas Junior, natural de Areial-PB;
- Igor Matos, natural de Campina Grande-PB;
- Danilo Monteiro, natural de Maceió-AL;
João Igor, natural de Areial-PB;

 

Na Paróquia da Santíssima Trindade

Ainda neste domingo (30), no período noturno, o Bispo foi acolhido na Paróquia da Santíssima Trindade, no bairro do Catolé, para celebrar neste dia solene para a Igreja. Dom Dulcênio presidiu a Missa que concelebrada pelo Padre Jorge Rodrigues, Pároco, e Assistida pelo Diácono Manassés, contando também com a presença dos Seminaristas.

Nesta celebração, Dom Dulcênio falou sobre a Solenidade da Santíssima Trindade, como um convite à contemplação de um “céu aberto”, depois de uma revelação paulatina, mas profunda, de cada uma das Pessoas Trinitárias, inserindo-nos, com o olhar da fé, no mistério de um Deus, Uno na substância e Trino nas Pessoas.

“Ao revelar a Sua glória Trinitária e Unidade onipotente, Deus nos vocaciona para o seio desta 'Comunidade de Amor', na qual o Pai ama eternamente o Filho, o Amante Divino ao Eterno, ao tempo em que o Eterno Amado corresponde ao sentimento do Pai amando-O, fazendo inteiramente a Sua vontade. Deste inesgotável intercâmbio, eis o Espírito Santo, o Amor, promotor desta relação misteriosa, porque é divina”, pontuou em sua homilia.

Seguiu explicando este mistério divino e desejou que o Amor contido na Santíssima Trindade invada os corações dos cristãos, fomentando à comunhão perfeita e íntima, a fim de que, a partir desta vivência, os cristãos habitem eternamente na pátria celeste.

“Que o Amor trinitário, o Espírito Divino, nos invada e nos conduza à comunhão perfeita e íntima com a Trindade Santíssima, para que, desde já, nesta terra de exílio rumo à Pátria Definitiva, nos irmanemos na comunidade cristã, imitando, com afinco, a doçura e harmonia das Pessoas Trinitárias”, concluiu. 

Por: Ascom | Correção: Pedro Freitas.
Fotos: Joaquim Urtiga


Imagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notíciaImagem da notícia

Comentários (0)