Na Paróquia de Santa Rosa de Lima, Dom Dulcênio celebra Missa festiva

A Paróquia de Santa Rosa de Lima, no bairro de Santa Rosa, encerrou seus festejos alusivos à Padroeira neste domingo (23), na ocasião, o Bispo Diocesano de Campina Grande, Dom Dulcênio Fontes de Matos, celebrou Missa Festiva que foi concelebrada pelo Administrador Paroquial, o Padre Emanuel.

Os fiéis que se dirigiram à Igreja Matriz ocuparam os 30% da capacidade e mantiveram todos os cuidados no tocante às normas de segurança sanitária; com entusiamo acolheram o Bispo, que também retribuiu expressando sua alegria em retornar à Paróquia e festejar Santa Rosa junto ao povo de Deus.

A liturgia para este Vigésimo primeiro Domingo do Tempo Comum apresenta no Evangelho um encontro de Jesus com seus apóstolos, e São Pedro reconhece o Senhor como Messias; na reflexão trazida por Dom Dulcênio, o Bispo discorreu sobre os planos divinos – “Deus sabe o que faz” – e ainda falou do grande exemplo de vida festejado: Santa Rosa.

E os planos divinos, tematizados por Dom Dulcênio, se deram a partir do momento em que Jesus escolheu a Pedro para revelar seu desígnio de amor; explicava o bispo que Jesus não escolheu ninguém letrado, da alta sociedade, não, mas escolheu um simples pescador:

“Jesus constituiu Simão por sumo pontífice, ostiário dos bens do Céu; fez-lhe Pedra da Igreja, cognominando-lhe ‘Pedro’. Porque, como disse Paulo (agora escrevendo aos coríntios a sua primeira carta): “O que é estulto [loucura] no mundo, Deus o escolheu para confundir os sábios; e o que é fraco no mundo, Deus o escolheu para confundir os fortes”. Explicou.

Cristo escolhe Simão, o elege, lhes confia as chaves do céu e continua a chamar os seus a também darem frutos; refletindo com a igreja, Dom Dulcênio destacava que o chamado do Senhor se estende a todos de modo direto e particular:

“Não devemos perguntar a Deus, depreciadamente, em nossas orações e colóquios de amor, “por que eu, Senhor?”, e sim termos a consciência de que, escolhidos por Ele, somos chamados para, numa superação de nossas próprias mazelas e empecilhos, corresponder-Lhe (ainda que fracassemos nalgumas ocasiões); somos instrumentos Seus para a frutificação no mundo”. Pontuou.

Ao escolher Pedro para edificar a Igreja, Jesus exclama: “Feliz és tu, Simão!”; de acordo com os ensinamentos de Dom Dulcênio, ao revelar seu plano de amor ao homem, Jesus concede a oportunidade de uma vida cheia de paz e sentido: “A vida do homem só ganha sentido, só é feliz no prisma da eleição que Deus faz e do esforço de nossa parte à correspondência, porque “vocação acertada é vida feliz”. Disse.

Ao final da sua homilia, referenciou Santa Rosa como aquela que esteve disposta a corresponder aos planos do Senhor, sendo um modelo de inspiração a florescer e frutificar na graça divina:

“Isabel Flores, chamada Rosa, assim o foi, aperfeiçoada pelo amor de Deus para que, no meio dos seus, de Lima, da Igreja e do mundo inteiro, fosse canal da bondade divina para todos. A exemplo dela, permitamos que Deus faça a Sua obra em nós e por nós, para sermos pedras preciosas pela profissão de nossa fé no Cristo, rosas exuberantes pelo amor na prática das boas obras, para sermos dignos servos de Cristo, revelando quem realmente somos e a grandeza da nossa dignidade cristã, chamando-nos à santidade”. Concluiu.

Por: Ascom
Fotos: Jhonatan Samuel

 

 

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar seu comentário

Assine a nossa newsletter

Junte-se à nossa lista de correspondência para receber as últimas notícias e atualizações de nossa equipe.



You have Successfully Subscribed!

Share This