“Na indecisão, na tentação, é o exemplo de São Miguel que deve nos orientar”. Dom Dulcênio na Paróquia de Barra de São Miguel

Localizada na Forania Agreste I, a Paróquia de São Miguel Arcanjo, em Barra de São Miguel, celebrou festivamente seu padroeiro neste domingo (04) em Missa presidida por Dom Dulcênio Fontes de Matos, realizada na Igreja Matriz.

O Padre Onaldo, Pároco da comunidade, que concelebrou este momento, acolheu com muito entusiasmo o Bispo diocesano e os seminaristas. A Missa aconteceu às 10h e foi transmitida pelas redes sociais; na igreja, um bom número de fiéis participaram, dentro dos 30% da capacidade disponível.

Na homilia, uma reflexão com duas partes: na primeira, o Bispo deteve-se a falar da vinha e explicar as leituras deste 27º Domingo do Tempo Comum. Na segunda parte, tratou de falar do Príncipe da Milícia Celeste, São Miguel Arcanjo.

O relato do evangelista Mateus tratou da vinha, e a narrativa desta vez contou a parábola dos maus administradores que não souberam cuidar da vinha e mataram os empregados e o filho do dono. A imagem empregada pelo evangelista diz respeito a Jesus que vem para anunciar a salvação, mas é completamente rejeitado pelo povo de Israel.

Deus confia à Sua vinha a um povo para que produzam bons frutos, e no final do Evangelho proclamado, Jesus diz: “O Reino será tirado de vós e entregue a um povo que produza frutos”. Conforme Dom Dulcênio, o Senhor quer que produzamos muitos frutos para o Reino de Deus.

“Os líderes do antigo povo de Deus não queriam produzir frutos para Deus. Queriam a vinha para si. É como os opressores de hoje, que querem o poder pelo poder e pelo proveito próprio, e não como liderança responsável para, junto com o povo, produzir frutos de justiça. Ele espera de nós que sejamos videiras que deem frutos excelentes em nossas obras, que se aproxime da perfeição, assim sendo, o resultado é o bom vinho da santidade”, disse.

Ao fazer alusão a São Miguel Arcanjo, por ocasião dos festejos da comunidade, o Bispo catequizou os cristãos com a doutrina ensinada pela Igreja, instruindo que Miguel é um dos sete espíritos que assistem ao Altíssimo.

“A Igreja venera São Miguel Arcanjo também como um protetor, e deseja que os fiéis a acompanhem nessa veneração e depositem ao grande espírito angélico toda a confiança. São Miguel é inimigo do orgulho e da mentira; defendeu vitoriosamente os direitos de Deus contra a arrogância de Lúcifer e de seus companheiros”, ensinou.

Trazendo sua homilia para um contexto bem atual, Dom Dulcênio falou sobre uma série de circunstâncias adversas, e orientou à comunidade a recorrer a São Miguel contra toda opressão do mal: “O fiel católico se vê diante da decisão: ou Cristo ou Satanás; fidelidade a Cristo ou abandoná-lo. A luta é terrível. Na indecisão, na tentação, é o exemplo de São Miguel que deve nos orientar”, concluiu.

Por: Ascom
Fotos: Pascom de Barra de São Miguel

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar seu comentário

Assine a nossa newsletter

Junte-se à nossa lista de correspondência para receber as últimas notícias e atualizações de nossa equipe.



You have Successfully Subscribed!

Share This