Na Catedral: Bispo de Campina Grande celebra mais um ano de vida

A Catedral Diocesana de Campina Grande se encheu de alegria e de louvor na noite desta segunda feira (19), com a Missa em Ação de Graças pela vida de Dom Dulcênio Fontes de Matos, que completou mais um ano de vida. A ocasião reuniu Padres, Diáconos, Seminaristas, Religiosos (a), representantes de pastorais, de serviços e de movimentos e o povo de Deus que, unidos no propósito de celebrar a vida do Bispo Diocesano de Campina Grande, respeitaram os protocolos estabelecidos pelas autoridades de saúde.

A presidência da Missa foi de Dom Dulcênio, mas coube ao Vigário Geral da Diocese, Padre Luciano Guedes, fazer a homilia; o Vigário e Pároco da Catedral ressaltou que Dom Dulcênio tem sido importante para a vida diocesana e agradeceu dizendo: “Manifestamos gratidão a Deus pelo Bispo que nós temos, rezamos por sua vida, rezamos por sua saúde, pelos seus anos, para que sejam muito abençoados, fecundos e felizes”.

Ao final da Missa, o Padre Francisco Evaristo, em nome de todo o Clero da Diocese de Campina Grande, dirigiu uma palavra de felicitação ao Bispo, destacando que Dom Dulcênio é um Bispo querido e amado pelo povo católico.

Lançamento do projeto da Cripta da Catedral

Após o término da Missa, os fiéis permaneceram para tomarem conhecimento do projeto de construção da Cripta da Catedral. A apresentação do projeto ficou encarregada do Padre José William, que veio de Goiânia, Goiás, e utilizou slides e vídeos para dinamizar, explicando a importância da Catedral Diocesana de Campina Grande possuir uma cripta para fazer memória dos Bispos Falecidos.

O projeto arquitetônico foi idealizado pelo Arquiteto paulista Christian Michael, que por motivos maiores, não pôde estar presente.

Confira o vídeo

A Biografia de Dom Dulcênio

Dom Dulcênio Fontes de Matos nasceu no dia 19 de outubro de 1958, na cidade de Lagarto, em Sergipe e ingressou no seminário no ano de 1979. Em 1985 foi ordenado sacerdote, exercendo seu ministério nas paróquias de sua Diocese de origem, Estância (SE).

Em 18 de abril de 2001, depois de 15 anos de ministério sacerdotal, o Papa João Paulo II o nomeou Bispo Auxiliar da Arquidiocese de Aracaju. Na época, era o Bispo mais jovem do episcopado brasileiro. Foi sagrado Bispo em 16 de junho de 2001, em Estância. Dom Dulcênio escolheu, para a vida episcopal, o lema ‘Pro Mundi Vita’ (Para a Vida do Mundo) (Jo 6,51).

Depois de cinco anos de pastoreio em Aracaju, no dia 05 de julho de 2006, o Papa Bento XVI nomeou Dom Dulcênio como Bispo Diocesano de Palmeira dos Índios. Em 11 de outubro de 2017, foi nomeado pelo Papa Francisco Bispo de Campina Grande, tomando posse em 02 de dezembro do mesmo ano. Dom Dulcênio é o oitavo Bispo de Campina Grande.

Por: Ascom
Fotos: Pedro Freitas e Rafael Augusto

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar seu comentário

Assine a nossa newsletter

Junte-se à nossa lista de correspondência para receber as últimas notícias e atualizações de nossa equipe.



You have Successfully Subscribed!

Share This