Ministros Extraordinários da Comunhão são investidos na Paróquia de Jesus Libertador

No intuito de manter a igreja sempre dinâmica e viva no serviço e evangelização, nesta quarta-feira (18), vinte e dois novos Ministros Extraordinários da Comunhão foram investidos com a bênção do Bispo Diocesano, Dom Dulcênio Fontes de Matos, na Paróquia de Jesus Libertador dentro das festividades em honra a Cristo Rei, além da renovação dos votos dos ministros veteranos.

A santa Missa concelebrada pelo pároco, Pe. Shermishon Phérikllys, contou também com as funções litúrgicas do Diácono Valter Luna e o apoio de seminaristas. Além de um número expressivo de fiéis que participaram dentro e fora da igreja matriz, seguindo o distanciamento social e as orientações impostas para o tempo de pandemia, houve uma grande participação através da transmissão da celebração eucarística nas redes sociais da paróquia.

Durante o rito de investidura, Dom Dulcênio abençoou as vestes, recebeu os votos de aceitação e aspergiu com água benta sobre os novos ministros. Para exercerem sua missão com dignidade e a nobreza que o ministério requer, os recém-investidos passaram por um período de dois meses de formação ministrada pelo Pe. Phérikllys e pelo Diácono Valter, com encontros semanais sempre na área externa da capela, respeitando todas as recomendações para a preservação da saúde da turma.

Em sua homilia o Bispo Diocesano afirmou que todos nós recebemos de Deus dons, e que estes devem ser colocados à serviço do Reino e dos irmãos e não do nosso individualismo: “Irmãos, todos nós recebemos talentos de Deus, mas o pecado nos faz ‘enterrá-los’, isto é, usá-los à serviço de nosso egoísmo, ou rejeitá-los, por uma comodidade mesquinha”, destacou.

Afirmou ainda, que temos a missão de sermos servos bons e fiéis como na parábola do Evangelho do dia, desenvolvendo nossos talentos e tendo coragem de ressuscitá-los quando os “enterramos” por consequência do pecado. “Nossa vocação é a de imitarmos os dois primeiros servos: ‘Confesso, sim, que enterrei meu talento, mas soube fazê-lo lucrar, soube ressuscitá-lo”.

Aos neo-ministros extraordinários, Dom Dulcênio dirigiu a palavra falando da responsabilidade desta missão: “vocês receberam em primeiro lugar um chamado de Deus e podem acreditar, Deus não chamou ninguém por ser belo, por ser santo, mas chamou seus filhos para servir […] A partir de hoje as pessoas da comunidade vão olhar pra vocês de maneira diferente, podem acreditar. Todo mundo passa a olhar pra vocês como um homem e uma mulher que estão à serviço de Deus de maneira específica.”

Paulo Brito, membro da comunidade São Bento e um dos vinte e dois novos ministros extraordinários da comunhão fala do seu acolhimento a este chamado: “Para mim é uma grande responsabilidade, exercer esse ministério, porque vamos auxiliar os nossos sacerdotes, levando a comunhão aos enfermos que estão impossibilitados de irem pra Igreja, principalmente nesse tempo de pandemia no qual estamos vivendo, e também auxiliando e ajudando os nossos sacerdotes nas demais atividades como as exéquias, também a celebração da palavra.”

Fala ainda sobre a importância deste ministério para a vida paroquial: “Eu creio que todos nós que somos ministros extraordinários da comunhão, somos de vital importância para a vida da paróquia, para o andamento das atividades e, sobretudo, na evangelização que é o nosso principal dever enquanto cristão”.

A festa em honra a Cristo Rei na Paróquia de Jesus Libertador segue até o próximo dia 22 de novembro, com programação todas as noites e transmissão das missas nas redes sociais da Paróquia.

Por: Gabriela Lucena, membro da Pascom Diocesana
Fotos: Adriano (Pascom Paroquial)

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar seu comentário

Assine a nossa newsletter

Junte-se à nossa lista de correspondência para receber as últimas notícias e atualizações de nossa equipe.



You have Successfully Subscribed!

Share This