Há um tesouro escondido na vida

Neste Domingo Jesus volta a utilizar a linguagem das parábolas para falar-nos do seu reino, conta-nos as breves parábolas do “tesouro escondido e da pérola preciosa” e a parábola da “rede lançada ao mar” (Cf. Mt 13, 44-52).

Jesus nunca definiu com palavras concretas e diretas o que Ele entendia por “Reino dos Céus”; preferia falar dele por meio de imagens do cotidiano, com comparações, em parábolas. Mas está claro que o Reino dos Céus era, essencialmente, Ele mesmo e seu evangelho.

As três parábolas estão unidas numa mesma intenção: ser cristão, encontrar Jesus, segui-lo na comunidade-Igreja é um tesouro pelo qual vale a pena todo esforço, toda procura, arriscar e investir tudo.

“O Reino dos Céus é como um tesouro escondido no campo…” (v. 44) Quando crianças quem não escutou histórias de tesouros escondidos? Quem não viajou na imaginação ou nos jogos caçando o tesouro na companhia de aventureiros, com um mapa do tesouro em mil aventuras para encontrá-lo. Quem não ouviu histórias de tesouros enterrados em potes ou “botijas”, pois naqueles tempos distantes não existiam bancos para depositar as fortunas. Então pessoas ricas metiam as moedas de ouro ou prata e joias em potes e os enterravam, em situações de guerras. Se por casualidade morriam, qualquer pessoa podia encontrar o “tesouro” enterrado.

Na parábola o tesouro estava escondido aos olhos das pessoas que passavam por aquele campo e não se podia adquiri-lo sem comprar o campo. Muitos certamente já tinham passado por ali sem o descobrirem ou talvez, sem lhe darem valor. Depois deste reconhecimento, o homem desejou adquiri-lo para si. Ao encontrar o tesouro por acaso, vende tudo o que tem para comprar aquele campo.

“O Reino dos Céus também é como um comprador que procura pérolas preciosas… “ (v. 45) Com a pérola preciosa acontece algo diferente do tesouro. Ela estava na vitrine, à vista de todos, mas só o comprador que procura pedras preciosas, um conhecedor, um perito no assunto; depois de uma longa procura acha essa pérola de grande valor, há muito desejada, também vende todos os seus bens para comprá-la, pois ele reconheceu o seu valor.

Nem todos valorizam igualmente a mesma coisa. Quando uma pessoa se apaixona por alguma coisa, ou por uma causa a qual toma por tesouro é capaz de sacrificar tudo para possui-lo: tempo, dinheiro, família, outros gostos… a escolha leva consigo a nossa vida. Não fica apenas no aspecto teórico.

“Assim é para o Reino de Deus: quem o encontra não tem dúvidas, sente que é aquilo que procurava, que esperava e que corresponde às suas aspirações mais autênticas. E é deveras assim: quem conhece Jesus, quem o encontra, fica fascinado, apaixonado, atraído por tanta bondade, tanta verdade e tanta beleza… Procurar Jesus, encontrar Jesus: eis o grande tesouro!” (Papa Francisco)

Nada é mais importante do que o Reino de Deus e a sua justiça, todo o resto vem depois, é relativo e deve estar subordinado ao projeto de Deus. Por Jesus vale a pena despojar-se do supérfluo, libertar-nos de tantas coisas acidentais, esquecer-nos de outros interesses e saber perder para ganhar na autenticidade. O discípulo de Cristo não é alguém que se privou de algo essencial; é uma pessoa que encontrou muito mais; encontrou a alegria plena que só o Senhor pode doar.

As duas parábolas (do tesouro e da pérola) narram esta descoberta valiosa. Os protagonistas não fazem nada de extraordinário; trabalham, procuram, encontram, alegram-se, compram e vendem. Em ambos os casos o interesse narrativo recai sobre o comportamento dos protagonistas diante da descoberta; o lavrador e o comerciante se alegram, uma alegria inconfundível, pois encontraram o essencial, o que pode transformar as suas vidas.

Hoje somos convidados a contemplar a alegria do lavrador e do comerciante. É a alegria de cada um de nós quando descobrimos o tesouro que é Jesus e a beleza do seu evangelho em nossa vida. Uma proximidade e presença que transforma nosso coração. “A alegria do Evangelho enche o coração e a vida inteira de quantos se encontram com Jesus. Aqueles que se deixam salvar por Ele são libertados do pecado, da tristeza, do vazio interior, do isolamento. Com Jesus Cristo a alegria nasce e renasce sempre. ” (Papa Francisco, Evangelii Gaudium, 1)

Há um tesouro escondido na vida de cada um de nós. Toda pessoa busca seu tesouro. Isso não é tanto a busca de riqueza, do dinheiro ou de algo muito valioso. Trata-se de esperar ou de procurar algo que realmente apaixone, dê sentido à vida, a tudo, que nos faça deixar tudo, capaz de mudar a vida ou nos fazer interiormente mais felizes. Claro, alguns encontram; outros, jamais encontrarão. E muitos creem ter encontrado um tesouro quando, na realidade, só juntaram coisas, quinquilharias, bijuterias sem valor.

A questão é saber discernir, com sabedoria, qual é o nosso tesouro oculto, verdadeiro e necessário para que nossa vida seja melhor, mais alegre, mais feliz. A isso Jesus com muita finura analisando a mentalidade humana chama tesouro que é uma palavra que suscita, na maioria das vezes, o que existe em nosso coração, no interior de nós mesmos, desejo de riquezas materiais e imediatas. Embora Jesus não seja amigo do dinheiro, sabe, no entanto, que os homens e mulheres de todos os tempos o são. E o que deseja é dar verdade a suas vidas. Ensina-nos que o verdadeiro tesouro que necessitamos para ser felizes é viver em sintonia com o Reino de Deus, dentro de nós mesmos. O mais é tudo quinquilharia.

Dentro de nós está a felicidade, é preciso procurá-la, é preciso descobri-la, é preciso encontrá-la. Aí está um bom desafio, um bom projeto para nossa vida: aprofundar-nos em nosso interior para encontrar-nos com nós mesmos e com Deus. Nosso tesouro é o conhecimento de Deus. Quando uma pessoa encontra Cristo opta por Ele, o mais passa a ser secundário, é capaz de renunciar a qualquer coisa por segui-lo, porque Ele enche plenamente o coração.

Agora nos perguntemos: Qual é o tesouro pelo qual estamos entregando nossa vida e nossos afetos? Onde está o teu tesouro? Tens optado por Cristo? A que estás disposto a deixar por Ele? “Pois onde está o teu tesouro aí está o teu coração” (Mt 6,21).

 

Pe. José Assis Pereira Soares
Pároco da Paróquia Sagrado Coração de Jesus 

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar seu comentário

Facebook

Assine a nossa newsletter

Junte-se à nossa lista de correspondência para receber as últimas notícias e atualizações de nossa equipe.



You have Successfully Subscribed!

Share This