Famílias de Massaranduba acendem velas e festejam Pentecostes

Fiéis de Massaranduba registraram, em uma rede social, o momento do acendimento das velas em seus lares. Prints de Stories.

Enquanto as chuvas trazem à terra as graças do Céu, anunciando um tempo de colheita ao povo, os lares cristãos da cidade de Massaranduba emanam, em comunhão, uma luz uníssona, reacendendo a chama da Igreja que fora dada com a revelação da Santíssima Trindade; primeiro o Pai em sua Criação, depois o Filho por meio de sua vida pública e, por conseguinte, o Espírito Santo, com a manifestação de seus dons sobre o povo reunido no Cenáculo de Jerusalém. Diante da consumação da promessa de Cristo para os Apóstolos, cinquenta dias após a Páscoa, as famílias de Massaranduba, da Paróquia Santa Teresinha do Menino Jesus, celebraram o dia de Pentecostes de uma maneira especial neste domingo (31).

Altar montado no lar de Viviane. Foto: Viviane Nascimento.

Trilhando os passos de uma Igreja Doméstica ao lado de seu esposo Sidgley, 37, e dos filhos, o sentimento que emana do coração de Viviane Nascimento, 37, é o de “esperança de dias melhores, de confiança sempre no Senhor e na Virgem Maria, paz e proteção”. Logo às 18h do dia 31 de maio a vela estava acesa em seu lar. A exemplo da Sagrada Família e em oração constante, Viviane unia-se, naquele momento, na presença das pessoas com quem constitui um forte elo sanguíneo e espiritual para glorificar ao Senhor e louvar à Senhora do Céu. “Os meus pedidos foram vários. Primeiro, que o fogo do Espírito Santo habitasse em nossos corações, em nosso lar, em nosso viver e nesta nação que tanto necessita do olhar misericordioso de Deus, diante desta pandemia e de tantas coisas mais”, comenta a mãe de Weslley, 14, e de Maria Nicolly, 5.

O pároco de Massaranduba, Padre José Alexandre Moreira, idealizador, partilha que “o objetivo de acender as velas nas janelas das casas das famílias é o sentido de unidade numa só fé, celebrando o derramamento do Espírito Santo sobre toda a Igreja”. Tendo ministrado duas missas neste domingo (31), o sacerdote acrescenta: “A festa de Pentecostes é a festa do Espírito Santo, esse Espírito que promove em nós a comunhão e a unidade na diversidade”.

À noite, em virtude das medidas de proteção assumidas por toda a Diocese de Campina Grande, apenas três crianças atuaram na Coroação de Nossa Senhora na Igreja Matriz da Paróquia de Santa Teresinha, quando, em anos anteriores, geralmente esse número se estendia para trinta e um “anjinhos”. Mais de 1700 pessoas foram alcançadas pela missa transmitida pelo Facebook (LINK: https://www.facebook.com/paroquiademassaranduba) no horário noturno e, de forma inaugural, através do canal do YouTube da Paróquia (LINK: https://www.youtube.com/user/ParoquiaStaT).

“Este ano, o que foi diferente foi encerrar o mês de maio sem a presença dos fiéis na paróquia. Mas a nossa Igreja continua viva, unida pela fé e pela oração das famílias em suas casas, vivendo a Igreja Doméstica. Coroamos Maria com a nossa fé, com a nossa participação, com o nosso testemunho de comunhão eclesial”, assinala Padre Alexandre. Após a Coroação da Virgem Santíssima, também intitulada Mãe, Rainha, Intercessora e Bem-aventurada pelos fiéis, os servos presentes caminharam em procissão para a parte externa da igreja, enquanto fogos de artifício ressoavam pelo céu. Ao redor da fogueira, as crianças lançavam sobre o fogo as rosas do “Mês de Maria”, que eram queimadas à medida em que a cantora entoava um canto de amor à Mãe da Igreja: “Vamos, meninas, queimar estas flores (bis)/Que o mês de Maria já se acabou/Acabou-se o mês o mês, acabou-se a alegria/Com saudade e pena do mês de Maria”.

Com informações e fotos: Pascom Massaranduba

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar seu comentário

Assine a nossa newsletter

Junte-se à nossa lista de correspondência para receber as últimas notícias e atualizações de nossa equipe.



You have Successfully Subscribed!

Share This