Dom Dulcênio participa da Missa em Ação de Graças pelos 30 anos de vida Sacerdotal de Dom José Falcão

O Bispo de Campina Grande, Dom Dulcênio Fontes de Matos, esteve participando e concelebrando a Missa pelos 30 anos de vida Sacerdotal de Dom José Francisco Falcão de Barros, Bispo Auxiliar do Ordinariado Militar do Brasil. A Missa aconteceu na noite deste domingo (17), na Igreja Matriz da Paróquia São Vicente de Paulo, em Palmeira dos Índios-AL, comunidade pela qual Dom José Falcão foi padre durante 20 anos.

Além de Dom Dulcênio, estiveram presentes os Bispos Dom Manoel de Oliveira Soares (Palmeira dos Índios) e Dom Adair José Guimarães(Formosa-GO), além de Padres, Seminaristas e o povo de Deus daquela comunidade. A Missa também foi transmitida pelo YouTube da Paróquia.

Cliquei aqui para rever a Missa

A homilia de Dom Dulcênio

Coube ao Bispo de Campina Grande proferir a homilia nesta Missa do II Domingo do Tempo Comum, o qual a liturgia traz o tema do chamado: primeiro fala da vocação de Samuel. Em seguida, o salmista responde no salmo 39, “Eis que venho, Senhor! Com prazer fazer a vossa vontade”. Já no Evangelho de João, há uma frase emblemática de Jesus quando perguntado sobre a morada, Cristo responde: “Vinde ver” e os discípulos de João seguiram o Cordeiro de Deus.

São leituras que apontam para o chamado vocacional e, nesse sentido, Dom Dulcênio correlacionou essas leituras ao chamado que Cristo faz aos homens para seguir o sacerdócio, dizendo:

“O Padre é o homem que Cristo escolheu, chamou, vocacionou – como Samuel e cada um dos discípulos – para participar da sua missão salvadora. Ao Padre nada é mais nobre, necessário e urgente do que este serviço pessoal ao Cristo, para salvar os homens do pecado e da morte, mediante a pregação da Palavra, o ministério da reconciliação e a celebração Eucarística, introduzindo este povo eleito no Reino dos céus”.

Ao fazer deferências aos 30 anos de Dom Falcão, Dom Dulcênio disse ser providencial celebrar os 30 anos com essas leituras tão propícias que confirmam sua vocação:

“Festejamos os trinta anos de vida sacerdotal de nosso amigo e irmão Dom Francisco Falcão. Creio que, no decorrer destes longos anos de serviço ao Reino de Deus, Dom Francisco aperfeiçoou-se como reflexo do Cristo.  Ao longo destes trinta anos de Sacerdócio, Dom Francisco, em todos os sacramentos administrados, em todas as pregações que fez, em cada conselho e orientação que dispensou, é o Cristo, alegria dos homens, que invade o coração dos fiéis através de Vossa Excelência. Que grandioso é o ministério sacerdotal! Como o senhor realiza bem esta missão, Dom Francisco”, disse ao Bispo festejado.

Por fim, concluiu com louvor a Deus suas palavras dirigidas a Dom Falcão:

“Meu caro irmão no episcopado, no sacerdócio: quem sou eu para dizer-lhe algo acerca do agir sacerdotal? Acredito que, no alto dos seus trinta anos de vida ministerial, Vossa Excelência teria mais a me dizer do que eu ao Senhor. Por sua vida, por seu ministério sacerdotal, pela sua fidelidade ao Senhor: em tudo Jesus Cristo seja louvado. Em favor de um mundo tão necessitado, digamos com fervor: Vinde, Senhor Jesus, na presença de muitos bem formados sacerdotes, a exemplo de Dom Francisco Falcão”, disse Dom Dulcênio.

Palavras de Dom Adair 

O Bispo de Formosa, Dom Adair dirigiu palavras de agradecimento a Dom Falcão: “quero agradecer muito a Deus pelo Sacerdócio fiel de Dom José Falcão, muito obrigado meu irmão, por poder desfrutar da sua amizade tão cara. Nesse dia dos seus 30 anos de Sacerdócio, quero desejar uma eficácia cada vez maior em suas palavras e em suas atitudes, Deus lhe recompense sempre”, cumprimentou.

Palavras de Dom Manoel

Dom Manoel, o Bispo Diocesano de Palmeira dos Índios também manifestou sua alegria e suas felicitações ao Dom Falcão, e disse ser um momento rico poder celebrar os 30 anos de vida sacerdotal de Dom Falcão e desejou um ministério cada vez mais fecundo.

Agradecimentos de Dom Falcão. 

Dom José Falcão ao ter a palavra, fez uma reminiscência de sua história vocacional, rememorando etapas, as quais falou com entusiasmo. Lembrou que a Paróquia de São Vicente foi a sua única paróquia onde exerceu o sacerdócio durante 20 anos. “Como aprendi e como continuo aprendendo nesses 30 anos de sacerdócio”, disse. Mencionou também como se deu o seu chamado ao Episcopado, quando porventura celebrava 20 anos de Sacerdócio e recebeu a ligação do Núncio Apostólico. E finalizou dizendo: “Considero-me um Sacerdote feliz, realizado, encantado, fascinado e seduzido pelo Senhor Jesus”.

Por: Ascom | Correção: Pedro Freitas
Fotos: Prints  e Leandro (Pascom da Paróquia de São Vicente de Paulo – Palmeira dos Índios)

 

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar seu comentário

Assine a nossa newsletter

Junte-se à nossa lista de correspondência para receber as últimas notícias e atualizações de nossa equipe.



You have Successfully Subscribed!

Share This