Dom Dulcênio celebra primeira Missa festiva na Igreja de São João Paulo II, no bairro do Aluízio Campos

Neste dia 22 de outubro, a Igreja em todo o mundo festeja a memória litúrgica de São João Paulo II; aqui na Diocese de Campina Grande, a Paróquia dedicada ao Santo, desde o último o dia 12, está festa; uma carreata trazendo a Imagem de Nossa Senhora de Fátima e as relíquias dos pastorinhos, que foram entronizadas na Igreja Matriz, marcaram a abertura dos festejos.

Com a presença de Padres e Diáconos ao longo das noites, a comunidade se alegrou, sobretudo, nesta quinta, com a Missa festiva presidida pelo Bispo de Campina Grande, Dom Dulcênio Fontes de Matos, que foi acolhido pelo Pároco, o Padre Rodolfo Lucena, e o Diácono Marco Danilo. Nas condições permitidas dos 30% de capacidade, a Igreja Matriz ficou preenchida com os fiéis.

Na pregação, o Bispo refletiu sobre a vida de São João Paulo II e como o seu lema “Totus Tuus” (Todo Teu), o fez um grande devoto de Nossa Senhora; mostrou que tal devoção é sinal de confiança e entrega nas mãos de Nossa Senhora Senhora:

“São João Paulo II, grande Pontífice e fervoroso devoto de Maria, faz-nos pensar como a sua vida inteira tem uma profunda ligação com Nossa Senhora, principalmente, após o atentado à mão armada de 13 de maio de 1981, onde duas balas, se não desviadas pela mão da Virgem, tal como reconheceu o Santo Padre, lhe tirariam a vida”, comentou.

Durante o pontificado de João Paulo II não lhe faltaram provações, mas foi entregando-se à Maria, que o Papa polonês soube enfrentar as dificuldades; apontando para o céu, o Bispo sugeriu ao povo copiar o exemplo do santo, a fim de mergulhar no amor de Deus, pela intercessão mariana.

“Aproveitando-se do histórico de fé de cada um, Deus quer que nos entreguemos por meio de uma forte experiência à Virgem Santíssima, de forma que, por ela, mergulhemos no infinito oceano de amor, que é o próprio Deus, pelas mãos daquela que chamamos “Mãe da Misericórdia”, admoestou.

A Paróquia celebrou a primeira festa de São João Paulo II e, para o Bispo, foi motivo de muita alegria; ao final ele expressou seu desejo de ver uma comunidade crescente e cheia de vitalidade na fé, incentivando a cultivarem a oração do santo terço.

“Faço votos de que esta Paróquia, muito embora dedicada a São João Paulo II, seja cada vez mais mariana; principalmente nas famílias. Que se cultive a devoção ao rosário, recitando-o em todos os lares, diariamente. Porque, se quisermos paz, a Virgem nos ensina como pedi-la na sua aparição em Fátima, aos 13 de julho de 1917: ‘continuem a rezar o terço todos os dias, em honra de Nossa Senhora do Rosário, para obter a paz do mundo’. E, do coração que se torna uma capela para Nossa Senhora, a família se tornará um lugar magnânimo onde, continuamente, Deus é adorado e a Senhora coroada, porque é mui amada, tal como propagou o nosso estimado Padroeiro”, finalizou.

A Paróquia

A Paróquia de São João Paulo II surgiu do desejo do Bispo da Diocese de Campina Grande, Dom Dulcênio Fontes de Matos, que percebeu a necessidade de oferecer atendimento social e espiritual a cerca de 20 mil pessoas que vivem no Conjunto Habitacional Aluízio Campos, no bairro do Ligeiro. A Paróquia foi criada em 18 de maio de 2019, e a sua instalação canônica está prevista para janeiro de 2021.

Por: Ascom
Fotos: Rafael Augusto

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar seu comentário

Assine a nossa newsletter

Junte-se à nossa lista de correspondência para receber as últimas notícias e atualizações de nossa equipe.



You have Successfully Subscribed!

Share This