Dom Dulcênio celebra Missa em ação de graças pelos 70 anos do Mosteiro das Clarissas

O dia 31 de dezembro é muito significativo para a comunidade católica da Diocese de Campina Grande, isto porque há 70 anos dava início a caminhada das Irmãs Clarissas nesta Igreja Particular e, para celebrar as sete décadas, o Bispo Diocesano, Dom Dulcênio Fontes de Matos, presidiu uma Missa na manhã desta quinta-feira (31), no Mosteiro que fica situado no bairro da Prata.

A Missa, que foi concelebrada por Padre Carlinhos e o Frei Sérgio, contou com a presença dos Seminaristas Diocesanos, dos jovens noviços da ordem franciscana, além do povo de Deus que costuma frequentar o Mosteiro.

“Quero agradecer imensamente o bem enorme que vocês fazem à Diocese. Obrigado! Que Deus lhes paguem”, com essas palavras, o Bispo de Campina Grande iniciou sua homilia fazendo gratidão pela trajetória das irmãs em Campina Grande e pela missão que elas prestam, tendo uma vida contemplativa e oracional em prol do clero e da humanidade.

Às irmãs, dirigiu sua orientação lembrando-as que a vida dos consagrados deve ser um raio de luz guiada pelo Santo Espírito de Deus: “Os religiosos e religiosas devem se deixar guiar pelo Espírito Santo; Ele é mestre, advogado, Aquele que nos ensina toda verdade com íntima inspiração completando o que Cristo nos transmitiu”.

Além disso, falou sobre a Graça, que é Jesus Cristo, o Verbo Encarnado; o Bispo ensinou que é por meio da graça que todos os batizados vivem a vida de Deus: “A vida que Jesus nos traz é a vida sobrenatural da graça, pela qual participamos da mesma vida divina e por essa vida, que existe em nós, podemos chamar-nos filhos de Deus e dizermos a Deus que é nosso Pai”.

Ao final da Missa, as Irmãs Clarissas tiveram a oportunidade de agradecer a Dom Dulcênio por todo o apoio, principalmente na compra do novo maquinário de hóstias, que é um dos principais serviços fornecidos pelo Mosteiro para a Diocese de Campina Grande. Elas também agradeceram à comunidade franciscana, ao Padre Carlinhos e a toda sociedade campinense que tem sido generosa ao longo desses 70 anos de vida doadas a humanidade.

Por: Ascom | Correção: Pedro Freitas
Fotos: Rafael Augusto

História do Mosteiro: 

Tudo começou em junho de 1949 quando o Frei Tadeu Prost-OFM foi aos E.U.A e em uma visita feita ao Mosteiro das Clarissas, na cidade de Cleveland – Ohio, expôs o motivo de sua viagem: “Convidar algumas missionárias franciscanas à sua Missão” e nessa intenção pediu orações.

Regressando ao Brasil, Frei Tadeu soubera que Dom Anselmo Pietrulla, bispo de Santarém – PA, fora transferido para a diocese de Campina Grande, recentemente criada. Depois, em uma conversa, falou de sua viagem aos E.U.A. a Dom Anselmo que ficou entusiasmado, uma vez que estimava a vida contemplativa.

Em agosto do mesmo ano, chega as clarissas uma carta-consulta de Frei Tadeu, pedindo resposta urgente. A Comunidade é convocada, pede o parecer através de voto secreto e a maioria das Irmãs mostram-se favoráveis à fundação, restando a decisão final à Abadessa, Madre Inês.

No dia 19 de março de 1950, festa de São José, foi lançada a pedra fundamental.

No dia 31 de dezembro de 1950, às 17h, o Santíssimo Sacramento é levado em procissão pelas ruas da cidade e a convite de Dom Anselmo compareceram sacerdotes, o prefeito da cidade, Sr. Elpídio de Almeida e uma multidão de fiéis. A um sinal de Dom Anselmo as Clarissas se colocaram à frente dirigindo-se ao mosteiro seguidas pelo clero, o povo e seis alunas do Colégio da Imaculada Conceição. Foi erguido um altar

e o Bispo deu a bênção Eucarística e o Santíssimo foi exposto na Capela. Após a bênção papal, encerrou-se a cerimônia.

A história completa você pode conferir acessando irmasclarissaspb.blogspot.com;

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar seu comentário

Assine a nossa newsletter

Junte-se à nossa lista de correspondência para receber as últimas notícias e atualizações de nossa equipe.



You have Successfully Subscribed!

Share This