A Solenidade de Todos os Santos: A Igreja no Brasil celebra neste domingo

Os Santos são sinais que apontam para o Santo dos Santos, por excelência, Deus.
Celebração lembra conjuntamente os eleitos que se encontram na glória de Deus, tenham ou não sido canonizados oficialmente.

“Alegremo-nos todos no Senhor, celebrando a festa de todos os Santos. Conosco alegram-se os anjos e glorificam o Filho de Deus”. Reza a Antífona da Missa deste dia festivo para a Igreja, eis a Solenidade de Todos os Santos. E na Catedral Diocesana de Nossa Senhora da Conceição, Dom Dulcênio Fontes de Matos, presidiu na manhã deste domingo (03) a Santa Missa, que foi concelebrada pelo Pároco da Catedral, o Padre Luciano Guedes.

No dia 1 de novembro a  Igreja faz menção a Todos os Santos, aqui no Brasil, reza-se sempre no domingo seguinte e dessa maneira todo o povo de Deus  se enche de alegria ao celebrar a Solenidade de Todos os Santos, eles que são exemplo e apontam para o Santo dos Santos.

Ensina o Catecismo da Igreja Católica em seu parágrafo 2013 que, “Todos os fiéis cristãos, de qualquer estado ou ordem, são chamados à plenitude da vida cristã e à perfeição da caridade.” Todos são chamados à santidade: “Deveis ser perfeitos como o vosso Pai celeste é perfeito” (Mt 5,48).

Ao celebrar este dia, o Bispo Diocesano, Dom Dulcênio Fontes de Matos, lembrou em sua homilia que Cristo é a luz, o sol que irradia, o horizonte de todo cristão: “E mediante o que contemplamos, somos capazes de nortear a nossa vida, localizando-nos neste mundo para o amor de Deus, sem equívocos. A Cruz do Senhor é o oriente místico que governa a todos os que querem se pautar na perfeição do Cristo Crucificado, Homem perfeito e perfeito Deus”. Disse o Bispo.

Ainda de acordo com o Bispo, esta solenidade remete à esperança da qual todo cristão deve ter e desejar, a vida de santidade. “O dia de hoje deve falar ao nosso coração, já santificados pela graça batismal. O numeroso grêmio dos santos foi aberto a nós, e continuará assim, porque, fazendo justiça ao termo igreja, fomos e somos convocados ao Céu de Deus.” Ensinou Dom Dulcênio.

Ser santo é a meta de todo fiel e os homens e mulheres que já estão na glória deixaram o legado de que a santidade é possível, além de possível, é um convite de Deus. “Que sejamos conscientes da santidade de Deus reservada para nós e alimentada pela vida sacramental da Santa Igreja, Mãe e Mestra. Carregando os sinais de Cristo em nós, ofereçamo-los ao mundo carente de pessoas santas. O mundo precisa do nosso testemunho.” Afirmou o Pastor Diocesano.

A Solenidade de Todos os Santos

O culto aos santos por parte dos cristãos remonta aos primeiros séculos, como consequência da Grande Perseguição do Imperador Diocleciano, no princípio do século IV, pela grande quantidade de mártires causados pelo poder romano.

A Solenidade de Todos os Santos remonta ao século VI. Já no ano de 835, o Papa Gregório IV fixou a celebração ao primeiro dia de novembro, declarando-a uma festa universal. Ao viver essa tradição, a Igreja convida cada um a contemplar essas pessoas, exemplos de fé, esperança e caridade, e lançar o olhar ao Alto.

Por: Ascom
Fotos: Pascom Catedral

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar seu comentário

Assine a nossa newsletter

Junte-se à nossa lista de correspondência para receber as últimas notícias e atualizações de nossa equipe.



You have Successfully Subscribed!

Share This