A Eucaristia na Vida da Família é o tema da 21ª Assembleia Regional da Pastoral Familiar

De 15 a 17 de novembro está sendo realizado na Diocese de Caicó/RN a 21ª Assembleia Regional da Pastoral Familiar, com o Tema: A Eucaristia na Vida da Família. E o lema: Todos os fiéis viviam unidos e tinham tudo em comum, uma citação do livro dos Atos dos Apóstolos 2, 44. O Bispo Diocesano de Campina Grande Dom Dulcênio Fontes de Matos está participando deste encontro, ele que é o Bispo referencial para a Vida e Família do Regional NE II da CNBB.

A Assembleia acontece no Centro Pastoral Dom Wagner e reúne dezenas de agentes da Pastoral Familiar. Na abertura do evento, a imagem da Sagrada Família com 4 bandeirinhas dos estados que compõe o Regional, foi trazida por um casal e em seguida se deu o primeiro momento do encontro, com a palestra de Dom Dulcênio. Ele falou sobre o tema da Assembleia: A Eucaristia na Vida da Família.

A Palestra

Dom Dulcênio trabalhou de maneira enfática dois textos bíblicos, o primeiro deles, o Livro de Josué, onde refletiu acerca da opção fundamental da família e de seus integrantes. O segundo texto, o Livro dos Atos dos Apóstolos, onde acenou para o despertar da consciência da família para a fé e para tudo o que ela trás, inclusive a realização da família na vida ativa da Igreja, e, a partir desta vivência (uma vivência eucarística), como deve se nortear no mundo, na sociedade.

Embasado no livro de Josué (24, 1-18), O Bispo de Campina Grande explicou aos participantes do encontro todo o contexto bíblico da leitura proferida, que narra a chegada do povo hebreu à Terra prometida, e lá são relembrados pelo patriarca Josué, da fidelidade de Deus, que esteve caminhando com o povo o tempo inteiro. Fazendo esta releitura da peregrinação do povo de Israel, Dom Dulcênio trouxe o texto para os dias de hoje e fez uma analogia com a família contemporânea.

“Creio que este seja um retrato de muitas das famílias de hoje, provenientes do deserto perigosíssimo, traiçoeiro e exigente do mundo. As nossas famílias correm sério risco de peregrinarem sob a exaustão, sob o sol causticante do fulgor impiedoso das ondas do modernismo, inclusive da velocidade das informações, do isolamento, enfim, de tantas e tantas situações desagradáveis que provocam o descaimento da família, pequeno núcleo do povo de Deus, mas, sempre querido por Ele.” Refletia o Bispo.

Ainda nesta bela analogia, o Senhor Bispo lembrou-se da terra que brota leite e mel, e disse ao povo, que Deus continua a acompanha-los na história e na peregrinação libertando as famílias, agora através da Igreja e por meio do Banquete Eucarístico. E incentivando as famílias a continuarem à caminhada, Dom Dulcênio, falou de uma conversão coletiva: “conversão esta que nunca deve ser finalizada ou interrompida, uma convicção, uma conversão de toda a família, que não dispensa nenhum de seus membros, é preciso que ela dê um outro passo: o de abeirar-se da vida da Igreja, inclusive dos seus Sacramentos.”

Na segunda parte de sua palestra, Dom Dulcênio trabalhou a leitura do Atos dos Apóstolos (16, 14-34), um trecho que narra o exemplo de famílias que abraçaram a fé. Mas o que chama atenção para esta narrativa de Lucas, é que ele encerra a cena com um banquete, Lucas termina com a Eucaristia. E assim ensinou o Bispo, que a Igreja continuadora da missão, é o lugar da partilha Daquele que se faz alimento e bebida no pão e no vinho, é o lugar das famílias. Dom Dulcênio prosseguiu seus ensinamentos dizendo que é a partir da Eucaristia que a família consegue compreender sua missão.

“É a partir do fulgor da Eucaristia, celebrada pelas famílias cristãs como nobilíssimo evento, que as outras dimensões de um lar são iluminadas. No descanso, no lazer, na convivência, e, depois, também no trabalho, nos estudos e nos demais afazeres, a celebração dominical dos divinos mistérios na Santa Missa deverá nortear a vida dos integrantes desta proto-sociedade vital denominada família.” Afirmou o Bispo de Campina Grande.

E por meio de uma espiritualidade eucarística, Dom Dulcênio apontava as famílias o Cristo: “A Eucaristia deve eivar as famílias, e, nisto santificá-las. Que aprendendo com a Sagrada Família, que tinha o Templo e as suas obrigações religiosas como necessidade de seu lar, as nossas famílias se primem para, na frequência à Igreja, alimentando-se da Eucaristia, inserir-se na comunidade de amor, a grande família de Deus, e, da mesma Igreja, se sintam responsabilizados.”. Finalizou.

A 21ª Assembleia Regional da Pastoral Familiar segue até domingo dia 17. Ao longo deste ano a Comissão Regional da Pastoral realizou vários encontros, dentre eles, o Encontro Regional que foi realizado em Garanhus/PE, o Terceiro encontro dos Assessores Eclesiásticos que aconteceu em Campina Grande, e agora a 21ª Assembleia.

Por: Ascom 
Fotos: Facebook Pastoral Familiar Diocesana

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar seu comentário

Facebook

Assine a nossa newsletter

Junte-se à nossa lista de correspondência para receber as últimas notícias e atualizações de nossa equipe.



You have Successfully Subscribed!

Share This