Retiro do Clero: terceiro dia

Nesta manhã de quarta-feira (10), penúltimo dia do retiro, após a oração da manhã na Capela principal do Convento Santo Antônio em Ipuarana, Lagoa Seca-PB, o bispo pregador, Dom Mariano, utilizou-se dos textos da Segunda Carta de São Paulo aos Coríntios, mais precisamente os seis primeiros capítulos, no intuito de refletir sobre a grandeza da Consciência Missionária deste Apóstolo.

A carta tem um perfil quase que autobiográfico porque expõe a vida de Paulo, após a sua conversão, ao ser alcançado por Jesus na estrada de Damasco e imediatamente ter iniciado suas pregações pelas cidades, sobretudo obedecendo ao envio que o Espírito Santo lhe fez de anunciar entre os pagãos.

O pregador deixou claro que São Paulo fez um caminho coerente na sua vida missionária, porque sentiu profundo amor pelo Cristo e sua Cruz. É esse amor a raiz da consciência apostólica de Paulo. Ele sabe que seu ministério não é dele, e não o exerce para elevar suas honras, mas para dar continuação ao ministério do próprio Cristo.

Para fortalecer esse pensamento, Dom Mariano trouxe à tona uma frase que está na lápide do jazigo do Pe. Daniel Combone: “As coisas de Deus nascem todas à sombra da Cruz”. “O missionário deve se colocar no caminho do calvário, do contrário é só oba-oba”, disparou o bispo.

Com estas motivações ele provocou o Clero a pensar se todos estão sendo sustentados por uma consciência verdadeiramente missionária, elencando situações que negligenciadas podem atrapalhar essa consciência.

Em relação a Oração, perguntou se estão dispostos a passar de uma oração que seja apenas quantidade para uma que demonstre qualidade, que não seja somente meditação, mas contemplação que transmita a graça e a tranquilidade de estamos caminhando dentro do plano de Deus.

O bispo refletiu ainda sobre a disciplina que podemos dar ao nosso corpo, evitando as desordens de todas as espécies; motivou para que haja um crescimento intelectual que capacite o padre a responder os questionamentos de uma sociedade que cresce culturalmente; banir a hipocrisia que impede a coerência entre o que pregamos e o que somos, à exemplo de Jesus que falava com autoridade devido a sua coerência; e finalizou dizendo que é preciso ter foco em Jesus para que o anúncio seja com ideias mais claras.

À tarde, o Pregador, Dom Mariano Manzana, preparou o clero para o Sacramento da Reconciliação ocorrida à noite com todos os padres se confessando mutuamente na última oração. Na oportunidade, o pregador do retiro fez uma paráfrase da história bíblica que se passou na vida do Rei Davi (2 Sm 11); um homem bom, prudente, mas que também caiu em erros humanos que o fez se tornar cruel e desumano. De homem íntegro, a quem Deus deu a sucessão da Casa dos Reis, passou a ser um pecador que comete absurdos detestáveis aos olhos de Deus. “Deus escreve certo pelas linhas erradas do ser humano”, disse o Bispo.

Por Pe. Márcio Henrique/ Coordenador Diocesano da Pascom
Fotos: Pe. Haroldo Andrade

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar seu comentário

Assine a nossa newsletter

Junte-se à nossa lista de correspondência para receber as últimas notícias e atualizações de nossa equipe.



You have Successfully Subscribed!

Share This